"Eu tenho 15 anos e minha mãe foi estuprada. Ela tinha praticamente minha idade. Me ajuda me odiar menos por ter nascido de um estupro?"

Posted: | por Felipe Voigt | Marcadores:
Eu demorei pra vir escrever aqui. Tentava entender como essas meninas se sentem. Eu nunca fui estuprada, mas eu carrego chagas disso na minha vida. É lamentável os comentários de pessoas maldosas como tem aqui e como tem no seu outro blog e é lindo o que você falou.

Eu tenho 15 anos e minha “mãe” foi estuprada. Ela tinha praticamente minha idade e foi mais ou menos pelo que me contam igual a
história dessa moça. Ela ficou grávida, tentou abortar umas duas vezes e não deu certo. Fomos morar em outra cidade. Quando eu nasci, ela me deixou com minha avó e foi morar em outra cidade. Ela quase nunca vem me vê porque diz que é dolorosa demais lembrar de tudo como aconteceu. Desconfio que ela seja prostituta, mas isso ninguém me conta... Sinto que ela odeia me ver, talvez não por me odiar, mas pelas lembrança que causo nela.

Eu também, de certa forma, a odeio... afinal, como ela pode me deixar nascer? Que tentasse quantas vezes necessárias. É horrível olhar no espelho e não encontrar traços da minha mãe, significa que carrego sangue, traços, personalidade, jeito de um pedófilo maldito. Minha avó me deu todo amor do mundo, minha mãe não me deixa faltar nada financeiramente. Mas qual é o sentido de existir assim? As pessoas que fazem comentários maldosos não sabem até onde pode ir e se estender uma “estupro de nada”. Interfere pra sempre na vida da pessoa que foi estuprada e daquele que estão em volta.

Obrigada, Ogro... lendo essa história mil vezes eu consigo entender um pouco do que minha mãe sente. Não digo perdoá-la, mas entender é um bom motivo pra me odiar menos. Me ajuda me odiar menos por ter nascido de um estupro? Me ajuda essa meninas que aqui contam suas vidas a entender porque minha mãe me despreza tanto?

Minha querida,

Fiz questão de pegar esse seu comentário feito em outro texto e fazer dele um texto à parte... Sua história ajuda a mostrar como atos de crueldade de canalhas podem deixar rastros quase perpétuos, com aparentes desdobramentos intermináveis.

Está começando a entender um pouco o mundo, está lidando com a realidade de uma maneira escancarada na tua porta e isso assusta. Tens dúvidas, necessidades, mágoas, frustrações... e a presença de uma mãe acaba lhe fazendo falta. Por mais que a avó preencha um espaço, ainda resta espaço vago.

E com tudo isso, ainda lhe resta um bom discernimento pra compreender sua mãe, mesmo a criticando por ter a abandonado. Você a entende, dentro do possível, mas gostaria que as coisas fossem diferentes.

Você não sofreu essa violência que sua mãe sofreu, mas sente as dores das dores causadas... e se sente fruto da dor, quando na realidade é fruto do amor.

Sim, você é um fruto do amor... do SEU amor pela vida. Mesmo ainda um embrião, mesmo ainda um feto, você já veio com uma força de vontade imensa para a vida. Sua vontade de viver suplantou a tentativa de aborto da sua mãe! Isso não é papo positivista chato do caralho... é apenas a forma como você deve pensar porque assim o é!

Entenda que abortar é fácil... se ela tentou duas vezes e nada, é sinal de que você precisava nascer. Talvez pra mostrar pra sua mãe, mesmo, que até um ato de selvageria pode render algo que valha a pena. No caso, você!

Eu até poderia dizer pra você seguir a vida e esquece-la, já que não mantém muito contato com ela. Mas nota-se que sente falta e se preocupa. Que gosta dela. E que, portanto, quer fazer algo para se sintonizarem...

Sua mãe está descrente na humanidade.. há 15 anos ela enfrenta diariamente o peso de enfrentar um mundo cruel e desonesto. Como me disse, talvez ela seja prostituta... o que fará com que ela creia ainda menos nas pessoas. Ela as usa antes de ser usada. É a forma que ela encontrou de se sobressair à dor.

A melhor forma de ajudá-la é você parando de se achar um "fruto da dor". Acha que ela, ao sentir que você se sente assim, irá ficar como? Mais frustrada ainda com o que aconteceu a ela! Além do trauma, ela sabe que a filha dela também está mal com isso. Compreende o quão ruim e doloroso é pra ela? E, consequentemente, doloroso pra você?

Pare de olhar no espelho e se ver com traços de um pedófilo filho da puta do caralho, porra! Esse cara não é seu pai, você não é filha dele...

Mostre pra ela - e principalmente pra você - que dá pra ter momentos felizes. Que você irá ser aquela adolescente chata, que irá brigar com ela por causa de namorados ou por causa das idas ao shopping, que vai pedir conselhos, que vai ter vergonha, que vai ter orgulho... ou seja: aquilo que todos esperamos de um adolescente!

Tenho uma sobrinha de 15 anos, igual a você... sei do que falo. Até porque a diferença de idade dela para com a mãe dela é quase a mesma da sua para com sua mãe. E já ouvi em brigas delas algo idêntico ao que disse: "Por que me deixou nascer?". Vocês sabem ser umas malas quando querem...

Não tenho seu e-mail, não tenho como te avisar que respondi seu comentário... Espero que passe por aqui e leia. E comente. E relaxe. E respire... lembre-se sempre de respirar!

19 comentários:

  1. carol disse...
  2. Querida...
    Cada vez que releio o seu relato, me vem duas coisas à mente.A compreensão pela forma que vc sente tudo isso. E o entendimento de que pessoas podem agir diferente. De como as escolhas da vida podem afetar a vida de outras. E de como cada história é uma história.
    Nunca senti vontade de comentar anonimamente aqui. Pensei em fazê-lo por falar em nome de entes queridos meus.Só que não vejo ajuda nisso. Eu poderia estar criando um fato pra tentar fazer vc se sentir melhor. Só que é algo verdadeiro.
    Desde meu primeiro comentário aqui, nunca escondi que passei por isso. E a dor na minha família foi maior porque era uma história que se repetia. A história da minha mãe. Não sou eu o fruto do estupro que ela sofreu e sim, meu irmão mais velho. E na minha casa, nunca houve ódio. O único sentimento era de indiferença do meu irmão para com quem ele chamava de "genitor".
    MInha mãe apenas fez uma escolha diferente da sua mãe. Não por ser melhor que a sua. Apenas por ter feito uma escolha diferente. A de ter e manter essa criança ao seu lado e de criá-la na verdade e no amor. Como ela conseguiu? Não sei.. até hj admiro a força dela.
    Uma frase sua me chamou a atenção... Me ajude a me odiar menos...Olhem até onde vai a culpa.. em quem menos tem.. VOCÊ NÃO TEM CULPA DE NADA e não tem que se odiar por causa disso.. precisa ser grata pela sua vida como qualquer ser humano precisa e perdoar a sua mãe por não ter força o suficiente de ver a beleza da sua vida apesar de tudo. Vc não é menos merecedora de nada pela forma com que veio ao mundo. Meu irmão teve uma vida normal e sempre sabendo de tudo. Se nós conseguimos, vc tb consegue. Tem o amor dos seus avós... e a beleza da sua vida. Não bastassem os problemas dessa fase tão complicada, né?
    Espero que lendo meu comentário vc possa se sentir pelomenos umpouquinho melhor... vc não está sozinha nisso.. não é a única e pode sim, ser feliz.. inclusive com sua mãe..vcs são as VÍTIMAS e não deixe nenhum tipode culpa torná-la A CULPADA de nada... beijos e espero q possa ter ajudado de alguma forma.

  3. Bianca disse...
  4. Moça, concordo com o Ogro quando ele diz que você lutou por sua vida ainda na barriga da sua mãe. Mesmo sem saber, você decidiu que deveria vir. E sua mãe também te quis, apesar da situação. Entenda, se ela não te amasse, mesmo no meio de tantas dúvidas, ela teria conseguido não te ter.
    Agora você tem 15 anos, uma avó que cuida de você e uma mãe que te ama. Você diz que ela te odeia, mas não odeia, se ela te odiasse não deixaria você "dentro" da família dela.
    Vou te dizer uma coisa, quando a gente é jovem, a gente acha que nunca vai ser feliz, que nunca terá paz. Mas depois, o tempo vai passando e a gente descobre que a felicidade é feita de pequenos momentos. Uma risada com uma amiga de escola, uma paquera, um abraço ou a comida gostosa que a Vó faz.
    Tente conversar com a sua mãe, conversa resolve muita coisa, ameniza muitas dores.
    Acredite que vai dar tudo certo, e sinceramente, pense muito mais nas lembranças boas do que nas ruins.
    Chegará o dia que você e sua mãe terão a paz, o amor e o carinho que merecem... que todos merecemos.

  5. Wanda Toledo disse...
  6. A ideia do blog em si é interessante.
    Mas eu considero machismo julgar que as mulheres precisam de alguém, ainda que seja outra mulher, para denunciar as agressões que porventura sofra.
    Se alguma conhecida, vizinha, parente, irmã, enfim, venha a sofrer algum tipo de agressão, o que temos a fazer é incentivá-la a denunciar. Tomar a frente e denunciar por ela, só em casos extremos, quando a própria agredida não possui capacidade para reagir.
    Precisamos dar força moral para que as mulheres exerçam a força e os direitos que conquistaram nos últimos anos, e não olha-las como seres indefesos.
    Abraços.

  7. Felipe Voigt disse...
  8. Peraí: machismo? Fazer com que alguém enfrente o problema a ponto de relatá-lo para outras pessoas é machismo?
    Tentar ser um ouvido, um ombro, uma atenção, um alívio momentâneo é machismo?
    Dar força moral é fazer enfrentar o trauma, ter coragem de digeri-lo e usá-lo como motivação para a superação. Mas em nada é algo parecido com machismo!
    Machismo seria se omitir por achar que mulher merece sofrer calada...
    Não são as mulheres que precisam de alguém: são os seres humanos que precisam de alguém. Independente do sexo...
    Seu discurso sexista é um tanto quanto preconceituoso, sabia?

  9. Wanda toledo disse...
  10. Como eu disse, não acho que a mulher deve sofrer calada, mas sim incentivada a denunciar, falar, desabafar.
    Se uma mulher me procurar pra desabafar, terá toda a minha atenção e será por mim incentivada a ir à polícia denunciar.
    Agora, eu tomar a frente, achar que ela é incapaz de ter a iniciativa de denunciar, é sim uma espécie de machismo. Parece que ela não tem voz e que precisa de outras pessoas pra falar por ela. Essa época já passou, graças a Deus.
    Hoje temos leis para nos garantir, nos amparar, temos delegacias especializadas. Em alguns casos, falta alguém para dar uma palavra de consolação e um incentivo pra que ela denuncie.
    Enfim, é assim que eu penso. Se o blogueiro não concorda comigo, paciência. Não sabia que ele era tão agressivo contra opiniões contrarias das dele. Por isso ele se auto denomina um ogro? Agora entendi.
    Adeus.

  11. MCláudia disse...
  12. Wanda, me desculpe a intromissão.
    Mas, ainda que existam leis que nos aparem, delegacias e tal, não são TODAS as mulheres que vão até lá. E digo isso porque sou uma delas, que passou por uma agressão de um namorado e não teve coragem de procurar ninguém, a não ser uma amiga. Não contei para minha família, para ninguém. Julgue minha atitude como quiser, mas é muito fácil nos posicionarmos quando não passamos por nada nesse sentido. Vim em defesa do Blog porque vi aqui uma forma de desabafo mesmo.... Uma pessoa como EU, que não procurou ajuda legal e, às vezes não sabe ONDE procurar ajuda por vergonha, que seja, vê o blog como uma forma de conforto, uma forma de buscar palavras que confortem, que amparem.
    Quando vc diz "Essa época já passou, graças a Deus." você mesma está sendo sexista. O feminismo pode ser visto de forma tão depreciativa quanto o machismo em si, não acha? Homens, mulheres, o que for, qualquer tipo de SER HUMANO precisa de AMPARO, de "colo"..... E, se somente mulheres vem aqui desabafar, é puramente uma coincidência...
    Respeito sua opinião, mas, como te disse, é muito fácil dizer que devemos incentivar a denunciar e falar.... Mas espero que não passe por algum tipo de situação que lhe coloque nessa posição de simplesmente não QUERER fazer isso.....

  13. Michelle disse...
  14. Fico maravilha com pessoas que como o Felipe ainda possuem o instinto natural de cuidar, respeitar, ajudar e consolar a mulher.

    Mas também existem pessoas que não participam do problema, não sentem, não se importam, e invadem sem pedir licença a zona de segurança de outras pessoas, pensando ser permitido.

    É fácil falar quando se é socialmente aceito. Quando seus pais moram juntos e quando o máximo de violência que você sofreu foi ser chamada de feia no colégio.

    Tudo que não precisamos aqui, são de pessoas que pensam que são, que fazem e que acontecem.

    Leve em consideração o porte humano, homem e mulher, é óbvio que não há como uma mulher se defender do sexo oposto se ele resolver que vai feri-la, bater ou machucar.

    Tente ler um pouco mais de Nelson Rodrigues Wanda. Saia deste mundo de faz de conta, e encare que ser agredida dói e deixa marcas permanentes, que o tempo não apaga, mudam para sempre a história de uma pessoa, que pelas escolhas certas ou erradas, tenta levantar a cabeça.

    Se vc denunciar seu marido, e utilizar-se da Lei Maria da Penha, ele fica preso por 30 dias, e depois? Volta para casa, e ao invés de te agredir, te mata..

  15. carol disse...
  16. Concordo com a MClaudia e a Michele. Essa postura de "vamos ajudar a denunciar".. "incentivar a mulher a se defender"... é válida, mas é uma variação de " estou ajudando mas a hora q a bomba estourar eu vou estar sã e salva"... isso não é se envolver, isso não é ajudar. Isso é tirar o seu da reta... Porque como exemplificou a Michele no final do comentário dela, qdo vc denuncia as agressões podem piorar... e pq não, serem fatais? Logo.. existe toda uma decisão difícil de ser tomada.. um rompimento.. uma separação dolorosa, principalmente quando há filhos... a vergonha.. enfim.. tudo que nós que estamos acostumadas aqui no blog, lemos direto e sabemos que existe. E que sabemos que não depende só do tapinha nas costas ou incentivo de alguém politicamente correto.
    Ajudar é dar a cara pra bater de pelo menos ouvir e tentar passar um curativo nas feridas.
    É muito fácil ter um discurso contra ou a favor, sendo que não é você quem vai sofrer as consequências... Vc vai estar lah pra apoiá-la qdo tiver que sair de casa... mudar toda uma vida e viver com medo da vingança???
    Enfim... fica aqui proposta essa reflexão... beijos

  17. Lígia disse...
  18. Eu fico inconformada com a capacidade que as pessoas tem em transformar qualquer coisa em polêmica.. se vc gosta do site, lê, se identifica, se interessa, se sente melhor, ou o que seja, continue lendo, frequentando e apoiando, agora se for pra falar merda, cala a boca...
    Alguém aqui em algum momento disse que as mulheres PRECISAM de alguem para denunciar? Alguém aqui por acaso tomou a frente de denunciar alguma coisa por alguém?
    Pelo amor de Deus galera, sabe o que é isso? Falha na interpretação do texto hahhaha... vai ler um pouco mais pra depois poder dar opinião...
    Se não tiver críticas construtivas, fica na sua e VTNC (precisei usar, Felipe)

  19. Isabel disse...
  20. Wanda, se vc soubesse o que o felipe faz com as mulheres que procuram ele, vc entenderia pq ele é tão querido e amado.
    Não é simplesmente responder a pergunta no blog e xau... ele auxilia, ajuda, conversa, ouve, aconselha, encoraja, da conforto...
    As vezes a unica coisa que a pessoa que foi agredida precisa no momento é alguém para ouvir o que ela tem pra falar... nada mais que isso..

    Se não gosta do blog, para de vir aqui e pronto.

    Não julgue uma pessoa que tenta de todas as formas ajudar o proximo.

  21. Ká Flor disse...
  22. Não sei qual foi o parâmetro que a pessoa usou pra definir o blog de machismo.
    Só de poder confiar algo pra alguém alivia, leia as historias e veja como muitas se calaram por muito tempo e se encontram no Felipe uma confiança pra se abrirem acredite que já foi um grande passo...Justamente pq ele é compreensivo, sem julgamentos...
    E tenho certeza que se alguém pedir ajuda dele pra denunciar ele não se recusaria e muito faria por isso...
    Mas o que a maioria busca no blog é compreensão.. compartilhar... e ver que uma historia vai ligando e ajudando outras...

    E o Ogro ai vai muito além da agressividade, meu bem. Uma pena quem não consegue ver nuances...
    E no mais concordo com as meninas acima.

  23. Anônimo disse...
  24. Alexandre

    Resolvi escrever pq senti que os comentários mudaram o foco da história principal, e seguiram em comentários acerca do post da Srta. Wanda Toledo que se enquadra na categoria daquelas pessoas q não fazem e não deixam fazer, tentando inclusive aumentar o problema, pois ao indicar o denuncismo em delegacia (sim, aqui é Brasil, pessoas são assaltadas dentro de delegacias) pode aumentar o problema, pois o despreparo neste local além de ser grande a chance de ter uma resolução é mínima, e a exposição que a mulher terá será máxima. Enfim, gostaria de voltar à história relatada, e dizer o seguinte para nossa querida amiga, linda, vc foi presenteada pelo maior presente que podemos ter que é a vida, vc é única e especial! Vc recebeu o maior dom que existe que é a vida! Se coloque acima das circusntäncias (sim, são meras circunstäncias o fato de sua mãe ter tido este trauma, circusntäncias dificeis, mas são apenas circusntäncias que não devem lhe desviar da alegria de estar viva), e lendo sua história, percebo que vc precisava nascer de qualquer forma, tenho certeza que vc tem uma missão aqui neste planeta, sério, não deixe nada lhe abalar, continue amando sua mãe, mas resgate suas forças e se sinta bem, pois o princípio de tudo é que nascemos p ser felizes, e sempre haverá cirscunstäncias, situações que querem tirar isso de nós, esta felicidade que os infelizes não tem, e que nós podemos ter.

  25. Cleiton D P disse...
  26. Por acaso minhas amigas me chamam de Ogro também, talvez pela falta de delicadeza ao tecer comentários diversos e ser um pouco franco no que digo e o serei neste comentário: Li o texto e alguns comentários e posso dizer algo que sinto a esta criança que se sente rejeitada.
    Sou a favor do aborto, não do estupro, mas do aborto de uma forma geral, mais pelo fato de se tratar da mulher em si do que pelo feto. O seu caso não é único, assim como o milhões de mulheres estupradas que geraram crianças como você.
    O fato é que eu acredito que para você se sentir menos odiada por você mesma é tentar ser um ser humano mais completo. Tente crescer e ser alguém forte na vida, com presença. Alguém que ajude, que contribua para com a sociedade e que em um futuro próximo, possa estender as mãos para sua mãe quando ela precisar e ela vai, do seu abraço. Se prepare para o dia em que terá que cuidar de você e dela, estude, viva, seja feliz e se importe menos com o que os outros pensem de você ou com o que você pensa da sua mãe. Ela pode ser uma prostituta, mas continua sendo uma mulher e um ser humano digno.

    Apesar de ter escrito meio atrasado, espero que leia.

    abraços
    Cleiton

  27. Julia disse...
  28. Oun meu amor, não odeie sua mãe. Converse com ela. Diga que você não tem culpa! Que você a ama! Diz pra ela, que você precisa dela, diz o quanto ela é importante! Você não tem culpa de nada, nem sua mãe. Tente entendê-la. Por favor meu anjinho, não ponha a culpa em você! Você não é filha desse maníaco! Você tem um pai, presente e amoroso! Deus! Dele sim, você é filha! Peça ajuda a ele meu anjo! Ele te ama!

  29. help disse...
  30. Minha querida nao foi a sua mae que quiz lhe dar vida e sim foi Deus que lhe abençoou com saude agradeça a ele e com serteza vc vai ser muito mas feliz afinal ele te ama muito nao fique triste nao pois Deus e o teu criador eternamente hj eu me comprometo a orar por vc e com certeza sua vida vai mudar beijos linda

  31. By: Ôh Grória!!! disse...
  32. sabe fui estuprada engravidei, num keria abortar minha nenem, era um gestaçõ de tanto risco, eu kero muito minha filha comigo, mas eu perdi ela ta doendo muito ainda, e sabe sua mae num tinha o direito de fazer isso com vc vc num tem culpa, nunk teve de nada, por um acaso se um dia ela matar alguem, vc vai ser a culpada ou vai pra cadeia no lugar dela??!! naum, ela deveria sim ter vc tu vai encontrar uma razao de viver keria q minha filha tivesse sido forte como vc e aguentasse viva dentro de mim sua mae tentou 2 vezes eu nenhuma e minha filha morreu!!! vc é forte tinha q ter nascido!! num deveria nem pensar q deveria ser abortada garota!!EllenluzM

  33. Anônimo disse...
  34. gosto mt desse blog, querido ogro! eu sempre fui completamente perdida na vida, meu nascimento foi um erro, meu pai sempre me disse coisas horriveis, minha mae sempre foi indiferente comigo, sofria bullying na escola...enfim, acabei desenvolvendo depressao forte, problemas com automutilação, fobia social, transtorno bipolar.....nao tenho vontade de viver

  35. Anônimo disse...
  36. Eu sei exatamente como se sente.Ja são anos de sofrimento e angústia.Num há um só dia que não me lembro desta história,a minha história.O que ainda me consolava era saber que eu não era a única,que deveria ter mais pessoas com a mesma história.Sempre pesquisei algo sobre,pra pelo menos dividir essas história e me semtir mais aliviada,desabafar.Pois nunca tive a coragem de conversar sobre isso com ninguém.Toda vez que o assunto parece que vai aparecer eu travo,me dá nervoso, calafrios,vergonha e tudo mais.Acho que conversar com outra pessoa com a mesma situação ajudaria uma a outra a superar isso.Tenho uma historia terrível,e isso me revolta muito,ainda mais pela maneira que veio ao meu conhecimento,péssima maneira.me sentia um lixo,um estorvo,um fruto maldito.Hoje já sou adulta,já consegui,conversar sobre isso com umas duas pessoas,acho que por isso botei um pouco pra fora daquela sujeira toda e me senti um pouco melhor.Mas acho que nunca vou superar,e uma coisa que vou levar junto comigo a vida inteira e depois também.não tem como mudar o passado e nem apagar, infelizmente.
    é isso!! gostei de encontrar esse site, blog que tenha a ver comigo,me sentir um pouco melhor e gostaria muito de encontrar pessoas com quem pudesse conversar.se possível deixar e-mail.não vou deixar o meu,pois tem o meu nome e não quero me identificar.

  37. Gilvan disse...
  38. Eu sei que a sua situação é no minimo desconfortável, mas creio que Deus tenha um propósito em meio a tudo isso! Muitas crianças não tiveram a mesma oportunidade, foram condenadas a a mortes por um crime que elas mesmas não cometeram! Trouxeram um sentimento de condenação para aquelas(a)que decidiram por matar! Minha amiga, são milhares de crianças sendo mortas todos os dias, vc mesmo disse duvidar da idoneidade de sua mãe o que provavelmente possa não ser de fato o que tenha acontecido. Pense, Deus tem um propósito em meio a tudo isso!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...