"Ele me lambia e dizia gostar da pele gelada e do gosto do medo... eu tinha 12 anos, apenas!"

Posted: | por Felipe Voigt | Marcadores: , , ,
Querido Ogro,

Estupro resultou na minha escolha sexual? Difícil conseguir começar a falar disso, nunca NUNCA falei disso com ninguém. Você é a primeira pessoa que irá saber do assunto... faço analise faz uns 4 anos e nunca contei sobre isso nem ao analista! O que vc tem, hein? rs...

Bom, cresci em uma cidade pequena onde todos se conhecem. Íamos sem pudor e frescura uns nas casas dos outros qndo era menor...enfim típica cidade do interior. Eu tinha 12 anos e na minha época ter 12 anos era ser criança, mesmo... Eu era muito piralha, corpo pequeno, magrela, demorei muito pra desenvolver, menstruar, crescer e ganhar formas. Não que o fato de uma mulher ter corpo feito possa ser justificativa pra um estupro... mas alguém desejar e querer uma criança é algo que está além da minha capacidade de entender.

Enfim, tudo aconteceu aos 12 anos: fui até a casa de uma amiga chamá-la e o pai dela me mandou entrar. Entrei e fiquei na sala, pois ele tinha tido que a minha amiga estava no banho. Isso era algo normal de convivência em uma cidadezinha pequena. Como tava demorando, me levantei e disse que ia bater na porta e apressa-la. Quando levantei, ele segurou meu braço e disse que ela não estava lá. Fiquei brava por ter feito esperar e fui em direção a porta pra sair. Foi quando ele me disse: “Fica, vc vai gostar”!

Me segurou, tampou minha boca e começou passar a mão no meu corpo... me jogou no sofá e quanto mais eu tentava sair dali, mais tentava gritar e me esquivar, chorando, mais eu podia ver a satisfação nos olhos dele! Ele me lambia e dizia gostar da pele gelada e do gosto do medo...

Segurou meu pescoço e pediu que ficasse quieta que ele acabaria logo. Me virou de costas, tirou minha calcinha e disse que ia doer mais, mas que eu devia agradecer por ele não tirar minha virgindade. Era tão inútil gritar e tentar sair dele que eu apenas esperei o momento pra sair dali ou pra morrer, sei lá... qualquer um era mais preferível do que estar ali.

Quando ele me deixou ir, eu sai correndo! Corri tanto, sem direção, sem forças mas com força... era estranho! Acabei indo pra um mirante que tem na cidade, tipo uma lugar secreto de criança, sabe? Eu deitei lá e chorei... Tô sendo a ingênua, não? Mas eu era mto inocente mesmo, não sabia muito sobre sexo nem nada. Era tão confuso pra mim e meu corpo doía, mas não suficiente pra sanar a dor que sentia dentro.

Foi então que peguei uma pedra e fiz um corte no pulso... Não queria me matar, só queria sentir outro tipo de dor e esquecer o tinha acontecido. Como naquele momento eu queria ficar sozinha, fiquei muito tempo ali e não voltei pra casa. Escureceu e resolvi ir pra casa, enfim... Ir pro lar onde estaria protegida, onde tinha meu pai que era meu herói. Só que quando cheguei, meu pai tava desesperado com meu sumiço, minha mãe chorando, a polícia em casa e tal... Hoje eu entendo, claro!

Quando meu pai me viu chegando, vi no rosto dele um misto de alivio com raiva. Ele gritou, me puxou pelo braço e perguntou onde eu tava, que tinha acontecido... ele me puxou pelo braço e isso me fez travar e lembrar do cara. Assustada e traumatizada, como ia dizer no meio de todas aquelas pessoas que estavam em casa o que tinha acontecido horas antes? Sentia vergonha, nojo, medo. Acabei dizendo que tinha ido no mirante, caído e me machucado.

Entrei no banheiro pra tomar banho e fiquei trancada lá por muito tempo. Meu pai ficou muito bravo e eu passei a odeia-lo a partir de então. E pior: com o corte no pulso, acharam que eu estava com algum problema psicológico, que tinha tentado me matar ou coisa assim... O que se tornou preocupante pra eles, pois me cortar se tornou um hábito pra mim... Anos mais tarde, me vi um pouco naquele filme "Aos 13" ou na musica do Legião: “quando ela se corta ela se esquece”. Era isso que vivia... nunca consegui falar sobre isso, nem com amigas, nem com psicólogo, nem com meus pais!

Eu tinha raiva porque esse cara treinava (e ainda treina) um time de futebol de meninas na cidade, foi eleito vereador no mesmo partido do meu pai, que também é político. Era tudo tão hipócrita e óbvio que me tornei uma adolescente “rebelde” e fui buscar na arte essa necessidade que tinha de me expressar mas não conseguia. Hoje eu entendo meu pai: a preocupação, a reação dele quando me viu chegando depois de horas “sumida” e só hoje em dia consigo ter uma relação sem grandes discussões com ele.

Eu acabei me afastando da filha desse cara. E acho que ele tenha feito algo com ela, também. Hoje ela é uma garota que tem compulsão sexual, transa com vários homens... me pergunto se isso aconteceu com ela e essa foi a forma que ela encontrou de encarar ou exorcizar o abuso.

Isso ficou guardado comigo, nunca me permiti contar pra ninguém, me fechei pra sexualidade na adolescência, pensar em um menino ou cogitar gostar de um homem era pra como se eu ferisse de novo aquela criança de 12 anos... Acabei descobrindo minha sexualidade com uma amiga. Achei que talvez fosse fase, que com o tempo passaria. Gostei de um cara, fiquei com ele, mas nunca consegui transar... Transar com um cara, alguém me penetrando ou mesmo desejar isso era como se eu tivesse aceitando, concordando, sendo conivente com o que o cara fez comigo. Infelizmente meu pensamento se tornou esse.

Quando conheci uma menina, aos 19 anos, ela era lésbica. Ficamos, namoramos, moramos juntas... durou 4 anos e eu me sentia confortável com a situação. Provavelmente se não namorássemos, ela seria e é uma grande amiga, mas eu tinha e tenho tesão em uma relação com mulher, era bom ficar com ela, gostar dela... Porque eu não precisaria me preocupar com o fato de ser “tentada” ficar com um homem, entende?

Acontece que agora, solteira e sozinha e talvez muito mais madura, eu não sei se me permito esse tesão por homens... Porque ele existe, mas a parte de mim que não superou isso me reprime demais, sabe? Admitir que tenho vontade de transar com um homem, que tenho vontade de ser pegada pelo cabelo, num sexo selvagem, me coloca em questão: no fundo, será que eu não tenha gostado daquilo que aconteceu?

Parece doentio pensar assim, mas me passa isso... afastar possibilidade de sexo com homens é como proteger aquela criança que eu queria que meu pai protegesse, sabe? É tão difícil desvincular esse pensamento... sofro demais com isso: eu quero e sinto vontade de transar com homens! Eu não sei, mas acho que busquei nessa coisa de ser lesbica uma proteção que se confunde na minha vida.

E por mais coisas racionas que me diga, eu aceito e entendo.. mas algo dentro de mim precisa se libertar disso de um forma concreta. Talvez contando agora pro blog, pra alguém, talvez indo lá e dando um soco na cara dele, talvez transado com um homem, enfim... Não sei o que pode me libertar. Mas confesso que pela primeira vez falando disso me sinto um tanto mais leve!

Não imagina o quanto já me sinto bem apenar por falar com alguém... isso teria sido importante antes, como é agora. Mas podia ter sido menos dolorido esses anos pelo simples ato de falar com alguém! Que bom que você tem esse blog... assim entendo como você realmente ajuda outras pessoas. Estou euforicamente aliviada. É como se houvesse o "antes" e agora vai existir o "depois".

Minha querida flor;

Muito bom que você tenha tido a coragem de vencer esse obstáculo interno e contar sua história para alguém. Viu como fez bem dividir isso? Não precisava ter passado por isso sozinha esses anos todos, né? Depois chamo de lesada não é à toa...

Enfim, nem preciso dizer que não tem culpa em nada do que aconteceu... ou preciso? Você não procurou por isso, tampouco provocou tal selvageria. Mesmo sua postura de esconder isso de tudo e todos por tantos anos não é condenável. Trata-se de uma violência que te deixou severas marcas e que você precisa expurgar de alguma forma... Engole o choro e vamos começar a botar o trem de volta nos eixos! Coragem você já provou que tem. Afinal: aguentou sozinha isso por tantos anos... notável e admirável sua coragem e fibra. Sério...

Vejo que gosta de reforçar que era apenas uma criança, tanto fisicamente quanto mentalmente, e ressaltar o motivo que a levou a estar dentro daquela casa naquele momento. Ninguém irá te julgar por isso, nem irá dizer que você procurou por algo... portanto, relaxe. Não está sendo ingênua: você ERA ingênua. Como cobrar postura sensata de uma criança que tinha acabado de sofrer uma crueldade como essa?

Você se cortou, se machucou para se safar dessa represa que tanto lhe causa dor. Foram várias vezes. A dor física é uma aliada... faz provar que estamos vivos, apesar de sentirmos que estamos mortos por dentro em algumas ocasiões. Às vezes, esses pequenos cortes te impediam de causar um mal maior a você mesma.

Hoje, aos 25 anos, resolveu abrir a boca e tirar um pouco isso do peito... e sentiu que pode fazer bem! É um ótimo passo para superar tal trauma... Você não é uma mulher traumatizada, apenas passou por um trauma. Nota a diferença? Isso que te aconteceu não define quem você é...

E saber que não é a única ajuda, também. Publiquei aqui
um relato bem parecido com o seu e recomendo que leia para que veja que não é só você que sofreu com isso... Dor dividida é dor compreendida!

O cara foi um crápula e vamos pensar numa forma de bota-lo em seu lugar. Como disse, é conhecido na cidade e trabalha com crianças desde sempre. Quantas mais não passaram pelo que você passou? Até mesmo a filha dele apresenta atitudes de quem tenha sofrido o mesmo. Vamos pensar em algo para desmascarar esse monstro e faze-lo pagar por tudo o que cometeu... e ainda assim, será pouco!

Sobre seu pai, é natural que tenha se "decepcionado" com a atitude dele, uma vez que esperava que ele te "protegesse". Mas ainda bem que percebeu que não havia muito a ser feito, já que ele desconhecia o abuso e você não conseguia se expor. Espero mesmo que tenha claro isso no coração, para não guardar mágoas das pessoas erradas.

Vamos nos ater ao ponto que mais te causa conflito... sua homossexualidade! Tanto no caso linkado acima como em outros que tive acesso desde que montei esse blog (um ainda irei publicar e os outros foram contatos em off), noto essa orientação a procurar se relacionar apenas com mulheres... seja durante um pequeno período, seja por muito tempo! É uma forma de manter sua sexualidade viva sem se machucar mais ainda com a imagem de um homem com você.

Foi esse estupro que te fez virar lésbica? Não! Ajudou? Sim, ajudou... mas você teria voltado a se relacionar só com homens caso não tivesse essa orientação sexual. Ou seja: você é bissexual e ponto. E daí? O problema é conseguir perder o medo de se relacionar com homens novamente, caso esse seja mesmo seu desejo. E, pelo que comentou, vejo que tem mais curiosidade do que a vontade propriamente dita. Busca essa experiência na esperança de que isso te confirme ou não sua sexualidade ainda conflitante...

Acho que você tem um bom gosto do caralho... afinal: buceta é muito bom e isso ninguém pode negar! Se não fosse bom, já teria deixado isso de lado, não acha?

Enfim, voltando! Você disse:

Admitir que tenho vontade de transar com um homem, que tenho vontade de ser pegada pelo cabelo, num sexo selvagem, me coloca em questão: no fundo, será que eu não tenha gostado daquilo que aconteceu?

Não! Isso não é admitir que tenha gostado do que aconteceu. Tá maluca? Essa vontade de um sexo mais selvagem é normal, todos nós temos... Como me explica tanta gente tendo essa tara mesmo sem sofrer algum abuso? Aliás: como explicar tanta mulher gostando de homem e mulher ao mesmo tempo, mesmo sem sofrer uma violência igual a sua? Compreende que o único problema é apenas você conseguir superar o que te aconteceu? Todo o resto irá soar natural depois que superar esse fatídico evento: suas taras, suas vontades, suas atitudes... tudo irá lhe soar normal.

É por isso que precisa escolher um cara bacana pra isso... e recomendo que envolva outra mulher junto, para você ir se acostumando. Além de ser divertido pra caralho, você irá se acostumando ao sexo oposto e, aí sim, formar sua opinião sexual. Ou confirma que ainda sente desejo por homens ou confirma que sua parada é mulher, mesmo...

Será difícil? Sim... Vai pensar em desistir da ideia? Sim, também. Mas vá com calma... terá todo o tempo do mundo para se preparar a isso. Comentou que faz terapia por conta de outro problema que teve... acho que é uma boa hora para se abrir para seu terapeuta, não acha? Afinal: já botou pra fora e te fez bem! Como ele é um profissional que te conhece há anos, irá saber como te ajudar de uma forma mas eficaz. Tente isso e me conte como foi.

O primeiro passo você já tomou: resolveu falar. Melhor levar 13 anos para se abrir do que perder uma vida toda enclausurada.

Isso me faz lembrar da mitologia por detrás da flor-de-lótus. No Oriente Médio e na Ásia, é considerada uma flor sagrada... sabe por qual motivo? Ela germina em águas lodosas e lamacentas... para depois de um tempo emergir mostrando sua força e beleza. São belas pétalas de uma flor que representa nossos problemas e a forma em que devemos sair deles.

Chega de viver na sombra... chega de fugir de você mesma! Você já botou sua primeira pétala para fora dessa lama. Está na hora de desabrochar e mostrar ao mundo o quão bela você é. Não deixe que um filho da puta impeça que você brilhe...

Seja sua própria flor-de-lótus!

62 comentários:

  1. Aline Dillinger disse...
  2. Eu tinha 15 anos estava numa festa da minha tia e um amigo do meu irmão (que era bem mais velho do que eu, tipo, uns 25 anos)foi me levar pra casa. Quando chegamos no portão da minha casa, ele me jogou pra dentro do quintal e tentou me estuprar, só que ele não contava com minha 'astúcia'e eu consegui pegar meu punhal (que eu nomeei carinhosamente de Alfredo) e parti pra cima dele. Eu gritava tanto e queria tanto que me ouvissem... Um misto de desespero e esperança, sabe?! Eu pensei: Pode me matar, seu filho da puta, mas não vai me estuprar não! Eu era virgem e inocente tb, mas eu aprendi com a minha mãe que uma mulher tem que se defender de alguma forma! Virei um animal, naquele dia... Quando me dei conta, minha família inteira tava em volta da gente e ainda deram uma surra no maldito, que já estava com vários cortes no rosto, na barriga... Parecia que eu tinha acordado de um transe, aquele bicho não era eu!Fiquei tão nervosa e com tanta raiva... Ele ficou preso por 2 anos e depois sumiu...Disseram que ele morreu...
    Quando um estupro ou uma tentativa acontece, a 1° coisa que se deve fazer é contar pra alguém que possa ajudar... Fiquei traumatizada tb, mesmo não tendo se concretizado, fiquei 8 anos da minha vida usando calça jeans (pq no dia do caso eu estava de vestido)Não arrumava namorados, pq tinha medo deles e perdi a virgindade com 20 anos, depois de namorar por 2 anos...Fiz terapia por 3 anos. Tive muita sorte e meu "Alfredo" continua comigo, mas já não saio com ele! Fiz MMA e um curso de defesa pessoal.
    Hoje estou com 30 anos,sou casada, tenho um filho de 6 meses. Ainda desconfio das pessoas, mesmo quando as conheço de longa data, mas tento melhorar um pouco a cada dia...Um passo de cada vez!
    Espero que vc melhore dessas feridas do passado... Aprenda que o que aconteceu com vc, não foi culpa sua e que existem homens bons no mundo, que estão dispostos a te dar amor verdadeiro...
    Se dê uma chance! Vc merece o melhor!
    Liberte-se!

  3. Anônimo disse...
  4. Eu sou a mulher que passou por algo semelhante nesse link que o Felipe postou , quando tinha treze anos aconteceu a mesma coisa comigo, e quem fez foi meu irmão. Como já passei por isso, sei o que vc passou e tomei a liberdade de falar aqui com vc a respeito.

    Eu moro numa cidade de 25 mil habitantes, todo mundo conhece todo mundo, mais um ponto em comum entre a gente, também era piralha, mal tinha acabado de ficar menstruada, e alias, mal tinha dado meu primeiro beijo na boca.

    Foi com certeza a pior coisa que aconteceu na minha vida, demorei um pouco para contar aos meus pais, mas bem pouco tempo... acho que foi tipo 1 mês depois, pq eu não suportava olhar meu irmão, meu medo era tanto que não saia de casa, matava aula, não queria ver ninguém, não fazia nada... meus pais perceberam que tinha algo errado comigo, e foi então que contei a eles.

    Eles nada fizeram a respeito, meu irmão fugiu da cidade, a cidade toda ficou sabendo, não tem uma pessoa aqui que não saiba o que aconteceu comigo. E olhe, dane-se os outros, não temos pq sentir vergonha, não fizemos nada de errado.

    Depois da fuga dele, eu entrei na fase de me machucar também, mas a diferença é que não cortava meu pulso, não era esse tipo de machucado... eu tive uma grande fase de putaria, ao contrario de vc, eu queria de todo jeito transar, transei com tanta gente, que não faço nem idéia de quantas pessoas, ia, transava, depois chegava em casa e chorava por te feito isso... chorava por me sentir uma ridícula, chorava por ter transado e não ter sentido nada de novo... eu queria muito sentir prazer, ter orgasmo e tudo mais... até que conheci uma mulher e comecei a me relacionar com ela, me sentia muito bem com ela, muito mesmo, tanto sexualmente, quanto afetivamente... ela me entendia, me apoiava, me ajudava... mas meus pais descobriram e eu tinha 15 anos na época, surtaram, proibiram e eu não tinha forças para lutar por isso... e era caso especifico, eu gostava dela, não sinto tesão em mulher alguma, so com ela. Anos depois, reencontrei essa mulher e namoramos por um tempo, foi maravilhoso enquanto durou, mas eu sentia falta de homem, sabe.

    Eu faço terapia desde sempre... fiz vários anos aqui na minha cidade, quando mudei daqui na época da faculdade, fazia la, depois mudei de cidade de novo, fazia no lugar de novo, agora voltei pra ca e continuo fazendo... faço terapia por conta disso, e falo por mim, eu ACHO impossível uma pessoa que tenha sido abusada sexualmente ter uma vida normal sem tratamento.... Eu aprendi e aprendo a cada semana a lidar melhor com isso... claro que não esqueço, que tenho minhas crises, mas olha sou outra pessoa...

    Depois que a gente aprende a lidar com isso, aprendemos a lidar com nosso tesão, pq acredite, ele existe... esta guardado, retraído, mas existe... Sei como é difícil, mas vc precisa tentar conhecer homem... Nem todos são cafajestes e idiotas... alias gente sacana tem nos dois lados, vc teve sorte em pegar uma mulher bacana, poderia ter pegado uma safada que teria magoado vc também.

    Eu fiz terapia de grupo também, só com pessoas que sofreram a mesma coisa que eu, e foi muito bom pra mim, compartilhar, saber que não sou a única, que não tenho culpa, que o monstro não sou eu, me ajudou a ser quem sou hj.

    Encontrei um parceiro, estou com ele há 9 anos, em outubro vai fazer 5 que estou casada, claro que minha vida não é um mar de rosas, mas de ninguém é... tenho problemas normais que qualquer casal tem... entende, que se a gente procura ajuda e quer as coisas podem melhorar? E que problemas surgiram independente de termos sofrido violência.

    Não consigo imaginar como vc viveu e vive tanto tempo sem ter falado para ninguém, nem para sua terapeuta... aconselho vc a falar disso com sua terapeuta o mais rápido possível.. Mas to muito ORGULHOSA de você, pq vc acabou de dar o primeiro passo.
    Acredite, cada vez que vc falar isso vc vai ficar ainda mais leve... antes não conseguia falar para ninguém também...

  5. Anônimo disse...
  6. Nossa é pertubador ler esses depoimentos. Nos causa revolta por esse FDP que está impune depois de tanta maldade.

    Como o Felipe disse se vc tivesse conseguido falar sobre isso com alguém talvez sua dor fosse menor. Mas diante dessa situação cada um tem um modo de reagir diferente.

    Você tentar falar sobre isso com seu terapeuta já que sentiu que desabafar te fez bem.

    Boa sorte!!!

  7. Anônimo disse...
  8. A moça do post
    Primeiro queria dizer que realmente um boa conversa com a pessoa certa, sem julgamentos, sem cobranças... alivia dores emocionais e do coração...
    Estava esperando um pouco mais pra poder vir aqui comentar. Mas agora vendo a reportagem da Record eu decidi vir, coisa a qual eu fechava os olhos, sim, eu não via reportagens sobre esse assunto, minha forma errada de lidar com isso foi fechar os olhos, o ouvido, a boca, o coração...pra qlqr coisa que me fizesse lembrar.
    Posso dizer que só ver essa reportagem já foi mais um passo e talvez a coragem que preciso pra mudar, por fazer justiça por mim e por outras pessoas. E a vontade que talvez tardia de denunciar... que é algo que ainda me da medo, mas que tenho pensado.
    Eu errei mto de nunca ter contado nem mesmo para meus pais, mas diante tudo que aconteceu na época eu realmente cheguei a transferir a raiva pro meu pai que hoje eu entendo e lógico amo mto.
    Dentro de mim isso era um assunto que já havia decidido com certeza que nunca comentaria com ninguém, nunca mesmo. Obvio que já tinha tentando, mas eu pensava que o nojo e a pena que sentia de mim as pessoas tb sentiria, ou medo de ser julgada pq pessoas como a @adrianajenner existem http://twitter.com/adrianajenner/status/15072284062 Nao que nunca tenha tido alguém em quem confiar essa historia, mas se tornou tão meu... tão obscuro em mim que era difícil sair. Mesmo na terapia que comecei era algo intocável, e eu sempre fugi de psicólogos que fosse invasivo que perguntasse diretamente algo, talvez esses anos de terapia foi que me ajudou a contar isso pela primeira vez..

    Qndo eu vi o blog Querido Ogro e o depoimento da garota de 13 anos que tb se manifestou aqui nos comentários (grata por ter colocado aqui) e o caso dela com o irmão eu comecei a pensar que talvez seria uma forma de colocar pra fora isso, de contar, das pessoas saberem, mas foi só um pensamento...O Felipe é um homem (no sentido ser humano, sabem?) alguém que vê nuances... eu fui sinalizando talvez pra ele minha vontade de contar algo... de alguma forma ele se aproximou, ele começou tirar a flor do lodo,.. e não sei, ele como um verdadeiro lobo sabe lidar com a escuridão, inclusive as das pessoas, ou como um deus lunar Thoth são arquétipos que atribuo a ele... Qndo enfim eu mandei o e-mail pro blog eu quis que ele soubesse quem eu era apesar do medo de julgamentos ou de sentir pena no fundo eu achei nele alguém pra confiar, ele conversou comigo de um forma tão bonita e sincera, eu sempre tive medo de contar e alguém ficar dizendo “poxa que foda, que triste, nossa como pode, nossa vc não fez nada?” o Felipe não, conversamos tempão, ele foi atencioso, com uma sutileza e me fez ver.. “porra, vamos pra frente agora?” NUNCA IMAGINEI QUE CONTAR PRA ALGUÉM ERA O PRIMEIRO PASSO PRA ME LIBERTAR SOBRE ISSO, POIS SIM...DESDE O MOMENTO QUE FALEI COM O FELIPE EU ME SINTO MAIS FORTE, COM VONTADE DE REALEMENTE FAZER ALGO a princípio por mim, e agora tb por justiça não só por mim... pq não vejo esse cara tem uns 7/8 anos ele treina e paga de bom homem de família pra sociedade usando justamente isso, fato de fazer algo pelas crianças no esporte

  9. Anônimo disse...
  10. (cont...)...e quero mto ter forças pra mudar isso, pra que pelo menos não pelas mão desse homem outras pessoas passem pelo que eu passei, eu passei 13 anos com isso sem nunca ninguém saber... tem pessoas que passam a vida toda, que não se permitem viver e isso precisa acabar... Não sei se é tarde pra eu ter acordado... Algumas mtas pessoas podiam não passar pelo que passei nas mãos desse mesmo cara, mas talvez eu ainda possa evitar que outras passem... eu preciso e quero mto me fortalecer pra isso.
    E falar com o Felipe foi como dar o primeiro passo de muitos, pq já falei com meu terapeuta e sei que juntos vamos começar a lidar com isso tb...Quero mto daqui um tempo voltar aqui e contar como estou bem melhor...
    Queria agradecer a Aline e as pessoas que de alguma forma mesmo sem saber quem sou são solidarias... é tão importante isso.
    Felipe fez algo por mim como nesse poema:
    “Quando uma flor se abre,
    nunca é apenas uma flor
    - ela ativa um processo;
    então, flores continuam a se abrir.
    A primeira flor pode ser difícil,
    mas as outras simplesmente virão.
    A primeira experiência é difícil,
    porque você não a permite.
    Uma vez que a permitiu,
    então não é só uma flor que se abre
    - mil e uma flores vão se abrir...”

    Aproveitando...Felipe, jamais vou esquecer o que vc fez por mim...
    Falar de quem nunca vimos pode parecer algo não sincero,
    porque as pessoas acostumaram a pensar que para
    conhecer uma pessoa precisa estar próximo, ver, ouvir,
    falar, tocar. Isso porque ainda dão muito valor ao físico, ao
    material. Só que existem pessoas como o FELIPE que são especiais,
    conseguem falar, ouvir , tocar, sem ao menos estarem perto.
    Porque elas nos tocam onde nenhum olho físico consegue
    enxergar, nenhum som se faz necessário e nenhuma mão
    precisa tocar. Tocam de forma sutil, com sinceridade que não
    consegue enganar, porque é de coração para coração...
    E você Ogro, é uma destas
    pessoas especiais. Sua sensibilidade, sua atenção e seu
    carinho, são especialmente visíveis aos olhos de quem quer
    enxergar...
    Essas poucas palavras são para agradecer, alguns
    minutos de sua sabedoria..

    E que minha historia de alguma forma sirva pra colaborar e incentivar outras pessoas contarem pra alguém...Como a primeira historia dessa blog fez por mim.
    Obrigada de coração :)

  11. Anônimo disse...
  12. "Íamos sem pudor e frescura" = comportamento instigatório. Visto que uma pessoa já pode ter distúrbios psicológicos e a objeto em questão sim pode provocar a reação de um homem nesse caso. "Quem cale concente" é o que dizem!!!
    Sua escolha sexual transviada é só uma reflexo da sua fraqueza ou de arrependimento.
    12 anos já podemos chamar de mocinha e mocinhas sabem bem ser uma lolita.

  13. Felipe Voigt disse...
  14. Comentário ridículo o feito anonimamente acima... prova de que covardes são ignorantes! Mantenho o comentário apenas pra mostrar o quão baixo, sujo e infeliz uma pessoa pode ser ao lidar com esse assunto.
    Pessoas como essa acima apenas mostram o porque tantas vítimas se fecham e sofrem com a "culpa" e o medo da sociedade.
    Julgar assim não ajuda em nada... portanto: vai tomar no seu cu! E não venha fazer do meu blog um altar de suas frustradas opiniões! O blog é meu e faço dele aquilo que eu quiser. Qualquer outro comentário desse nível será apagado!
    Prefiro deixar as palavras da minha cara Flor, que são palavras de esperança e de crescimento. É pra isso que montei essa porra: pra ver pessoas do bem e não idiotas como o do comentário acima!

  15. carol disse...
  16. Eu estava me contendo... e pensando sobre o que ia comentar aqui.
    Desde o depoimento da menina de 13 anos, esse assunto vem mexendo comigo pq tb sou uma das pessoas que passou por isso na mesma idade e de forma diferente.
    De uns tempos pra cá, venho lidando com o assunto com mais frequência. Sempre parabenizo o Felipe por ser coerente... ajudar até onde pode.. isso aqui é uma iniciativa linda. Só quem passou entende e eu só tenho a dizer a vc, Flor (como o Ogro carinhosamente a chamou), que te desejo toda a força do mundo pra superar essa história. Mas nunca se envergonhar.. essa é a sua história...e você pode fazê-la melhor daqui pra frente.
    Porque a gente encontra nessa vida, pessoas como a do comentário covardemente anônimo ali de cima, que julgam, q insuflam a culpa que a gente inadvertidamente acaba sentindo por causa de uma sociedade hipócrita.
    Só desejo a essas pessoas uma coisa: que elas nunca precisem na vida passar pela dor de serem molestadas por mãos alheias CONTRA A SUA VONTADE.Existem vários níveis e várias formas diferentes de violência sexual. E para esses hipócritas eu digo: se uma mulher, diz NÃO, mesmo que seja na hora "H".. esse não deve ser respeitado. Tudo que for feito a partir dessa manifestação de vontade negativa, É SIM, um crime e uma violência.
    No mais, Felipe,faço minhas as palavras dela e vc sabe quanto te admiro. Não preciso e nem vou ficar me repetindo. A questão é que enquanto existirem pessoas como você, que não sentem compaixão e nem julgam, mais mulheres que passaram por isso terão a coragem de falar sobre suas vidas sem sentirem que estão se expondo a uma verdadeira platéia medieval que vai condená-las à forca. E nem levantando bandeira, porque não é esse o caso.
    Beijos a vocês. E toda minha ternura.. que só tem quem verdadeiramente compreende o que é tudo isso...

  17. Anônimo disse...
  18. Já tive medo de pessoas com esse tipo de pensamento do anônimo covarde... Mas realmente pessoas como Felipe e mta outras me tornam cada vez mais forte...Saiba que o bem que me fez falar e conversar não foi abalado por seu comentário. Eu falei pro Felipe que existe o antes e o depois da nossa conversa... e esse tipo de coisa ficou no antes, não cabe mais na minha vida.
    Digo e repito meu único arrependimento foi não ter falado antes e que fique o aprendizado.

  19. Lenita disse...
  20. Cara(o) Anonimo(a) boca de metralhar merda....

    Desculpe-me pelos termos que vou usar aqui, mas acho que assim conseguirei chegar ao seu nível e tentar elucidar uma coisinha na sua cabeça oca, distorcida e muito superficial.

    Nunca tive coragem de postar nada a respeito, mas sabe o que? Deitei na cama e suas idéias me martelavam a cabeça e eu disse vou escrever...

    Bom as vítimas de abusos sexuais ou morais não precisam de pessoas como vc dizendo que a culpa foi nossa. NÓS ACHAMOS ISSO!- já que vc não teve a sensibilidade de perceber em duas histórias que o Felipe brilhantemente postou aqui.
    Outra coisa, seu discursinho não é novidade, nós já ouvimos isso várias vezes, inclusive de pessoas que amamos e que esperavámos que fossem nos ajudar e amparar.

    E só uma pessoa muito estúpida como você vê o homem como um penis incontrolável. Se uma menina de 12 anos, uma criança apresenta comportamentos erotizados ou libidinosos - o que não foi meu caso e , pelo que li, nem aplicável nos dois casos do blog- de "lolitas", o cara tem que mais é que comer ela??? Ahhh pessoa.. tomara que vc não tenha filhos.. pena deles...
    Se um HOMEM vê que uma criança não tem atitudes condizentes com a idade dela, ele tem que AJUDÁ-LA, viu? Esse é um comportamento aceitável... Ele deve mostrar, orientar esta criança que algo está errado com ela e que ela precisa de ajuda. O fato de uma criança agir assim já diz que existe algo de errado com ela... ela tá pedindo ajuda!! Então não fode, tá??

    Eu me proponho a te ajudar, se vc quiser, porque eu também já fui ignorante e pensei que não existissem homens que nos vissem como mulher, como pessoas e que éramos apenas objetos sexuais. Pensei também que os homens eram pintos ambulantes que não tinham o cérebro orientando nada.

    Mas descobri, a tempo, que existem HOMENS de verdade, e vc está no Blog de um deles. Uma pessoa que sim, pegaria a criança pela mão e diria: Vem cá, Engole o Choro e me conta o que acontece com vc?

    Aprenda, entenda ou viva algumas coisas antes de falar...

  21. Lenita disse...
  22. E a tempo

    Amiga do post.. se vc conseguiu se abrir vc já está melhorando, pode ter certeza.

    Esquecer uma coisa dessa é impossível, mas podemos viver uma vida onde conseguimos confiar nas pessoas, ou pelo menos em algumas delas...

    A dor, a culpa vão estar sempre conosco, mas podemos canaliza-la em algo positivo e ajudar a cuidar de nossas crianças para que o mesmo não aconteça com elas.

    Fica bem...

  23. Drica disse...
  24. Esse anônimo é um babaca, como uma pessoa, aliás, uma criança vai saber o que é provocar ou não? Isso não tem lógica, provavelmente esse imbecil deve ser um pedófilo, visto que pensa exatamente como um.

    Flor parabéns, antes tarde do que nunca. Esse monstro de alguma forma tem que pagar pelo que fez e eu espero muito que vc consiga isso. Em nome de todas as crianças que ele fez mal.

    Muita boa sorte em seu caminho e que vc consiga de uma vez por toda desabafar esse mal que vc guardou pra si por tanto tempo.

  25. Anônimo disse...
  26. Eu sou a pessoa do post dos 13 anos... e como ja foi falado acima a gente não precisa de gente que ache que a gente tem culpa, pq a gente ja acha isso, precisa de ANOS de terapia e auto-conhecimento para tentar acreditar que a culpa não foi nossa e sim do monstro que fez isso com a gente.

    Vim aqui única e exclusivamente por dois motivos, o primeiro para mandar esse anonimo filho da puta tomar no cu, e segundo para falar mais uma vez ao felipe o quanto sou grata a ele por TUDO que ele me fez e faz até hj.

    Se alguém tiver lendo aqui, participa do blog, e PRINCIPALMENTE for amiga do felipe, e ja passou pela mesma situação e quiser falar a respeito comigo, autorizo o felipe a passar meu msn... é muito bom falar a respeito, eu ja fiz terapia em grupo e digo que funciona.

  27. carol disse...
  28. Parabéns para a Lenita. Conseguiu expressar toda a revolta que a gente sente e às vezes não consegue falar.

    Concordo plenamente que entre um adulto e uma criança... ou uma pré adolescente, que seja, quem tem que ter mais juízo e atitudes maduras é.. adivinha quem? Sim, o adulto... aquele que joga a culpa nas costas da menina que o "provocou", que o "seduziu".. pobrezinho.. tão indefeso e sem controle.
    Se é esse o caso, quem é que não está bem? Quem é que precisa rever se tem algum problema ou não?
    Esse tipo de pensamento que meninas são safadas, vagabundinhas e "lolitas" esbarra em apenas uma coisa... VONTADE PRÓPRIA. Coisa que nessa idade, muitas meninas ainda não tem e são facilmente iludidas e ludibriadas.. quando não pegas a força mesmo ou sob ameaças e chantagens...
    E quando a tem... é sufocada pelo medo, pela vergonha.Exatamente de ser julgada, de ser tratada como uma pária se descobrirem que ela é ou foi abusada, molestada. Quando não a culpam pelo que aconteceu (como se não bastasse a porcaria da culpa que já se instala por si só) o que rola é uma compaixão, uma piedade exacerbada que ninguém quer ser alvo.
    Novamente ...... Lenita, acredito eu que você tenha conseguido expressar um pensamento comum a todos que tem acompanhado esse blog.......
    beijos

  29. Anônimo disse...
  30. Este comentário foi removido por um administrador do blog.
  31. Felipe Voigt disse...
  32. Como eu já disse: o blog é meu e eu apago o que eu julgar conveniente. Quem quiser contestar algo, que dê a cara pra bater. Caso contrário, que vá pra casa do caralho... eu pago o pedágio, se quiser!

  33. Flávia disse...
  34. Sempre acompanho seu blog e já fazia um tempo que não entrava por aqui. Perdi o fôlego.
    Me choca e me deixa triste esses pensamentos do comentário anônimo.
    Querida força pra você e pra todas as meninas que vem aqui desabafar e se curar nesse homem Ogro maravilhoso.
    Lindo trabalho.

  35. Jéssica Nery disse...
  36. Acompanho o blog desde que foi criado. Cada vez me surpreendo mais com as histórias e com o quão filho-da-puta uma pessoa pode ser - aquele post anônimo é um exemplo disso.
    Pensar que crianças podem "provocar" para que aconteça uma coisa dessas é um pensamento mesquinho e de pessoas sem nenhum discernimento! Pura filhadaputice, mesmo!

    Enfim, parabéns pelo blog, Felipe.

    Beijos.

  37. Anônimo disse...
  38. Eu demorei pra vir escrever aqui. Tentava entender como essas meninas se sentem. Eu nunca fui estuprada, mas eu carrego chagas disso na minha vida. É lamentável os comentários de pessoas maldosas como tem aqui e como tem no seu outro blog e é lindo o que você falou.
    Eu tenho 15 anos e minha “mãe” foi estuprada. Ela tinha praticamente minha idade e foi mais ou menos pelo que me contam igual a história dessa moça. Ela ficou grávida, tento abortar umas duas vezes e não deu certo. Fomos morar em outra cidade, quando eu nasci ela me deixou com minha Avó e foi morar em outra cidade ainda, ela quase nunca vem me vê porque diz que é dolorosa demais lembrar de tudo como aconteceu, desconfio que ela seja protistuta mas isso ninguém me conta, eu sinto que ela odeia me ver, talvez não por me odiar, mas pelas lembrança que causo nela. Eu também de certa forma a odeio, afinal como ela pode me deixar nascer? Que tentasse quantas vezes necessárias. É horrível olhar no espelho e não encontrar traços da minha Mãe, significa que carrego sangue, traços, personalidade, jeito de um pedofilo maldito. Minha Avó me deu todo amor do mundo, uma não criação e minha Mãe não em deixa faltar nada financeiramente. Mas qual é o sentido de existir assim? As pessoas que fazem comentários maldosos não sabem até onde pode ir e se estender uma “estupro de nada”. Interfere pra sempre na vida da pessoa que foi estuprada e daquele que estão em volta.
    Obrigada Ogro, lendo essa historia mil vezes eu consigo entender um pouco do que minha Mãe sente, não digo perdoá-la , mas entender é um bom motivo pra me odiar menos.
    Me ajuda me odiar menos por ter nascido de um estupro? Me ajuda essa meninas que aqui contam suas vidas a entender porque minha Mãe me despreza tanto?

  39. Anônimo disse...
  40. Esse FDP devia ser castrado!!! Na verdade tds esses demonois qu fazem essas coisas com criançar deviam ser torturados e passarem por coisas piores(se é que existe)!!!

  41. Anônimo disse...
  42. quando eu tinha 6 anos fui abusada sexualmente pelo meu irmão de 13 anos. nunca tive coragem de contar isso a ninguéml já fiz terapia por 6 meses mas não tive coragem de contar esse fato tão dolorido da minha vida. hoje tenho 23 anos e estou aos poucos tentando me libertar disso e de tantos outros fatos ruins que aconteceram na minha vida e me marcaram profundamente. o mais triste disso tudo é a alguns meses atrás eu não aguentando mais guardar isso comigo resolvi contar o ocorrido a minha mãe, até porque esse meu irmão hoje em dia é uma pessoa violenta que vive agredindo verbalmente minha mãe e quebrando coisas dentro da casa dela qndo ele aparece bebabdo e frustrado por ter uma vida medíocre. sabem o que minha mãe falou? a pior coisa que uma filha poderia ouvir, ela disse que eu que permiti que ele fizesse isso comigo e talvez até tivesse gostado,nossa, isso pra mim foi como uma facada na alma. muito triste mesmo. não sei mais o que faço da vida, faculdade parada, não tenho ânimo pra fazer novos projetos, já pensei várias vezes em suicídio, não consigo confiar em ninguém, sinceramente não sei ainda o que me faz querer viver. talvez um dia eu seja feliz. talvez. ou ao menos menos triste. é isso aí.

  43. Felipe Voigt disse...
  44. Você poderia tentar me escrever, mesmo que não quisesse que o relato fosse publicado. Espero que leia esse meu comentário e consiga, ao menos, me procurar via e-mail. Conversar sobre isso, sem julgamentos e sem acusações, te fará bem... Isso eu e todas que passam por isso garantimos.

  45. Anônimo disse...
  46. Numa boa, se conto uma parada dessas pra minha mãe e ela diz que eu gostei e mereci, dava um soco na cara dela na hora. Vadia filha de uma puta! Mulheres assim merecem morrer aos poucos e serem varridas da face da terra, pois se olhassem suas filhas elas não precisariam passar por todo esse sofrimento!

  47. Anônimo disse...
  48. Cara anônima, eu nunca passei por situação de abuso sexual ou algo semelhante, dessa monstruosidade eu por sorte não fui vítima. Mas o que me levou a comentar foram as suas palavras "já pensei várias vezes em suicídio". Eu já tentei suicídio e foi de longe a pior experiência da minha vida, eu comecei assim, apenas pensando nisso, não que eu pensasse em realmente me matar, não, era muito mais sútil (se é que eu posso usar tal palavra) que isso, eu atravessava ruas e me imaginava sendo atropelada, me imaginava caindo da janela e tanta outras situação em que eu simplesmente morreria, e como eu cheguei a tentativa mesmo? Bem, apenas chega um dia em que vc está desesperada demais, em que nada mais faz sentido e vc apenas quer se desligar de tudo, em que o nada seria mais fácil, entende? Até então eu não sabia que eu estava em depressão, comecei a fazer terapia depois do ocorrido. E sabe o que eu aprendi com isso? Que na verdade eu não queria morrer e sim viver, eu queria voltar a me sentir viva, a ser feliz, eu queria saber como era sorrir e ser feliz outra vez, como era me sentir eu mesma outra vez, como se eu tivesse sido roubada de mim, entende? Se vc quiser aceitar um conselho, procure um terapeuta, não deixe ser consumida por esse desânimo, por essa falta de vontade de viver, é um caminho perigoso demais. Vc não tem culpa de nada que aconteceu com vc, e vc ainda tem coisa pra viver...

  49. Anônimo disse...
  50. oi pessoal vendo esses relatos senti vontade de contar minha historia tb.
    eu me considero uma pessoal feliz que consegue ir levando a vida.
    mas as vezes tenho alguns momentos depre, dai nao vou pra faculdade, pro trabalho...
    Aconteceu comigo quando tinha 5 anos eu fui molestada. minha mae separada a 2 anos na epoca resolver sair a noite e me deixar na casa da vizinha do 5º andar. nossas familias eram amigas a mais de 10 anos.
    o que consigo me lembrar é que a vizinha me colocou pra durmir na mesma cama que ele e o marido. foi entao que de madruga eu acordei com ele me tocando. nao sabia o que fazer, mas lembro que falei: não, para. e ele ainda disse: vc nao quer? como se uma criança de 5anos fosse querer sexo! entao eu acordei a vizinha,disse a ela que queria durmir com a filha deles (amiga da minha irma mais velha). ela nao percebeu nada e me levou pro quarto da filha que ainda nao havia chegado, e voltou pra cama.

    hoje perto de fazer 23 anos, me lembro disso quase que todos os dias. houve uma epoca em que eu culpava a vizinha, outra em que culpava minha mae, outra em que achei que tinha ate gostado. em relaçao a sexualidade na adolescencia beijei algumas meninas mas isso era normal na minha cidade, sempre soube que sou hetero.
    tenho um namorado que mora na minha casa, as vezes fico com medo dele fazer algo com minha irma mais nova, alias desconfio de todos os homens pra mim todos são culpados até que se prove o contrário, mas sei que isso é paranóia do trauma que sofri.
    efim vou tentando esquecer mas nunca consigo e nunca contei.
    espero que esse relato aki me ajude a esquecer.
    enfim temos que salvar todas nossas crianças desse tipo de situção, uma criança nao é filho só de alguem é o futuro, talvez contando nossas historias elas fiquem mais espertinhas, ou os pais fiquem.

  51. Anônimo disse...
  52. eu sou a anonima do post anterior
    esqueci de dizer que a familia da vizinha em questao se desmoronou com o passar dos anos. e a amiga da minha irma mais velha, filha do agressor, nao se dá bem com o ele. ela diz que ele nao é pai dela de verdade, eu e minha irma nao sabemos o pq. vai ver ele tb abusava da propria filha...

  53. Anônimo disse...
  54. É realmente muito importante que você separe aquele ocorrido da sua sexualidade. O assim chamado estupro foi um evento isolado, sua sexualidade é curtir homem e mulher e ter fantasias, querer um sexo mais selvagem, fetiches etc, isso é sua sexualidade, não tem absolutamente nada a ver com o que você sofreu. Não se prive de viver sua sexualidade plena hoje por desconfiar que algum desejo possa ser reflexo daquele ocorrido, porque realmente não é. E fique feliz, você consegue ter uma sexualidade bacana mesmo tendo passado pelo que passou! ;) Tem muitas pessoas que passam por isso e não conseguem.

  55. Anônimo disse...
  56. Nossa... Sua atitude de contar aqiii ja é um primeiro passo, minha família qe leu comigo ficou horrorizada. Denúncia esse cara. conta pra sua mãe tenho certeza qe ela vai te entender, mães São como um anjo qe Deus nos da... Nao deiche seu passado afeta toda a sua vida. Vc pode muda isso é so fazer acontecer é so confiar em vc.

  57. Anônimo disse...
  58. Querido Ogro

    Eu fui quase estrupada ,,mais tipo ,,
    O cara era amigo do meu irmão ,e ele sei la como explica tinha atração por mim,, uma menina de 7 anos ,,sem corpo só magricela mesmo,, ele passava a mão no meu corpo e era esquisito ,,e ele mim ameaçava ,,falando que se eu falasse com alguém ele mim matava ,,mais sei la eu ficava com medo e tudo mais então ta né,,passo anos ,,e eu vejo esse cara e sinto nojo dele muito nojo ,,Ninguém sabe nem meus pais nem ninguém ,,já tentei comentar com uma amiga minha ,que eu confio bastante só que achei melhor não,,Isso corrói dentro de mim sei la eu mim sinto impura ,,Acho que ele tem medo de mim quando ele mim ver abaixa a cabeça,,sai andado ,,principalmente quando estou com meus pais ,,As vezes eu tenho tanta vontade de fala sabe ,mais já se passo tantos anos acho que ninguém iria acredita hein mim ,,Depois dele veio outro cara que tento mim estrupa ,,

    Meus pais trabalhavam ,,ai a minha vizinha cuidava de mim ,,e ela tinha um subrinho tarado ,obsecado por sexo ,, Ai tipo eu fui a vitima ele passava a mão hein mim e eu não acreditava que tava passando por aquilo de novo minha sensação foi de tenta morrer sei la ,,
    Hoje eu vejo ele ,e ele faz a ,mesma coisa que o outro parece que eles tem medo de mim ....

    Bom ta ja tenho 13 anos depois que tudo isso aconteceu e não sinto atração por homens posso ata gosta de um e outro assim mais nem gosto muito ,a primeira vez que eu fiquei com um menino tirando esses doidos que tentaram mim estrupa eles so mim beijavam e passavam a mãe no meu corpo ,,então voltando no assunto ,,o menino que eu fiquei meu primeiro beijo assim que eu quis beija que eu ate gostava do menino , ele mim abraçava sei la era estranho não gostava ,,quando eu beijei ele eu mim lembrei de tudo foi como se eles tivessem mim beijando ,,ai eu empurrei o menino ,tipo muito meninos gostam de mim ,,só que eu nem do bola ,,mais sei la e estranho eu não sinto nada por mulher também ,,!! ;S

    So queria saber o que eu fasso se eu conto pros meus pais depos de 6 anos que ja se passo !

  59. Anônimo disse...
  60. hoje em dia podemos ver que esses vagabundos merecem ir preso onde ja se viu abusar de crianças e adolecentes olha eu tenho apenas 14 anos e graças a deus nunca passei por isso e se deus quizer nunca vou passar mais eu tenho dó das pessoas que ja passou por isso uma pessoa dessa tem que morrer se deus me livre tivece acontecido isso comigo a primeira coisa que eu ia fazer e contar pro meu pai e pra minha mãe ha e eu tenho certeza que o meu pai ia quebra a cara do cara

  61. Patrikely disse...
  62. A minha históra é horrenda. Eu tinha 12 anos, mas era toda criança sem seios. Tenho uma irmã gêmea identica. O meu visínho maniaco me trancou na casa dele achando que eu era minha irmã. Me torturou sexualmente durante anos eu me passando por ela. Me estuprou e me deixou sangrando num quarto sujo durante horas. Me marcou a ferro quente,jâ fuí víojentada amarrada,ja me jogaram no cháõ e tiraram minhas roupas na luta atê me corteí na verilha d tanto puxarem minha calcinha. Hoje sou uma sombra, Tenho uma tristeza infinita. Mas a minha irmã não foi tocada. Sou o silencio em vida,sem amigos,namorado nem pensar. O monstro passou 12 anos na cadeia por ter feito o mesmo com uma menina d 9 anos mas eke me matou.

  63. Anônimo disse...
  64. believed plenty of people payback his or her loans in timely manner in addition to without the need of outcomes
    A respected unsecured debt nonprofit wants the numerous people looking toward these folks pertaining to assistance over cash advance loan credit card bills to help you 2 bottle the. debts aid organization tells near buy that payday, high appeal financial products this year. A good cause suggests four years past the sheer number of customers with them seemed to be small.
    http://pozyczkanadowod24.net.pl
    kredyty chwilówki opole
    zobacz adres strony
    kredyty bez bik
    pożyczki prywatne na umowę

    http://szybkapozyczkaonline.com.pl
    http://pozyczki-prwatne.org.pl
    http://pozyczkanadowod24.net.pl

  65. Anônimo disse...
  66. olá... tenho 14 anos, namoro a 1 ano e 3 meses, eu não lembro que idade tinha direito, mas creio de uns 8 anos, era bem bobinha, não conhecia nada do meu corpo, não sabia nem quantos "buracos" (rs) eu tinha, até que meu primo, muito mais velho que eu na época, me chamou pra ir no quarto, e eu toda bobinha fui, nisso ele me agarrou, colocou a mão dentro do meu short, e colocou o dedo em mim... ele perguntava se tava doendo e eu não sabia o que tava acontecendo, só sei que eu realmente fiquei desesperada, não sabia o que fazia, ele tampou minha boca, e eu, fiquei quase sem respiração alguma, era muito fraquinha comparada a ele, ele era muito forte, depois disso, ainda sem entende o que tinha acontecido, ele me agarrava e me obrigava a pega no ... dele, (rs) . Agora que to mais velha, tenho muita raiva dele, contei isso apenas pra uma amiga minha a um tempo, com muito choro eu contei, e pro meu namorado, tenho muita raiva desse meu primo, acho ele um "animal" irracional, um nojento, odeio ele totalmente.

  67. Anônimo disse...
  68. a pessoa a cima sou eu, e dps de tudo isso, eu nunca me considerei virgem, tenho muita raiva disso, nunca ter me sentido uma pessoa "pura", eu já perdi minha virgindade porque eu confio de olhos fechados no meu namorado, mas por fatos nunca me considerei.

  69. Anônimo disse...
  70. Eu acho que vc devia perdoar ( não ser amiga dele nem conversar com ele ) apenas perdoar, guardar raiva não faz bem, nem mesmo se for de uma pessoa assim, que não devia nem existir.

    Perdoe que será melhor pra você.

  71. Anônimo disse...
  72. Bom entrei aqui sem querer,e estou lendo todas essas histórias e impressionada... senti muito vontade de me abrir,porque fui abusada pelo meu avô quando tinha uns 5anos,não lembro de muita coisa,lembro do cheiro,da sensação,ele me tocava e fazia eu toca-lo e cheirava tão mal,ele era muito querido pela família inteira ninguém nunca acreditaria em mim,quando eu me mudei cidade,foi morar conosco meu primo,era eu meu irmão,meu primo e meus pais... ele era mais velho que meu irmão e melhor amigo dele,quando meu irmão não estava ele tirava a roupa e mandava rural toca-lo e me chamava de safadinha,tirava a minha roupa... nossa era horrível,eu me sentia suja,nojenta causadora de tudo aquilo...tinha uns 8 anos... aí ele voltou pra cidade que moravam antes,e passei a depositar toda a minha raiva e meu nojo a meu pai,fiquei totalmente rebelde,fiz uma tatuagem aos 14anos,comei a fumar perdi a virgindade com 15anos,usei todo tipo de drogas,transei com tantos homens que nem consigo contar,me chamavam de rebelde sem causa,eu era a princesinha da casa a filha mas nova e mulher,transei com mulheres,cortar meus braços com Gisele,vidro... hoje tenho 25 anos tenho 2 filhos,e estou grávida do terceiro,sou casada a 8 anos e ninguém sabe,nem meu marido... e tenho uma sensação de que vou vomitar e fico muito nervosa quando eu lembro de tudo... só quem passou sabe como é horrível... vc querer simplesmente ser uma criança normal e nada mais... não deixo ninguém dar banho nos meus dois meninos e muito menos vê los sem roupa... morro de medo... me desculpa... é só um desabafo!

  73. Anônimo disse...
  74. Queria diz que não superei totalmente mas,eu me puni por muito tempo por algo que eu não tinha culpa,eu não sabia nem o que era sexo,minha mãe super me protegida e até hoje me protege como se eu ainda fosse uma criança,talvez se culpa pela minha rebeldia... meu primo morreu,e meu irmão lembra dele com muito carinho,era o melhor amigo dele,e meu pai hoje tem 60anos e tem o pai dele como um super herói perfeito... não vejo porque cortar essas coisas ora alguém... eu não sei como iriam aceitar isso,tenho muito medo... estão mortos... e quer saber agradeço a Deus por não ter que conviver com eles,acho que não suportaria... as vezes brigo com os outros sem motivo,sou muito nervosa,já tentei me matar algumas vezes,a última vez tomei tanto remédios,tive três paradas cardíacas e quase eu morro,meu cortei muito com um vidro de uma taça ,meu filho mas velho tinha meses,tenho pesadelos até hoje... meu pai diz que meu marido e o único que tem paciência comigo... mais hoje posso dizer que o amor do meu marido e dos meus filhos está fazendo com que essa dor aos poucos suma da minha vida,tendo um marido muito compreensivo... esses pedofilos malditos precisam ser punidos,devia ter cadeira elétrica pra eles,e um crime imperdoável... pode acabar com uma vida,quase acabou com a minha... esse espaço aqui me fez um bem sem precedentes... muitooo obrigada de verdade...

  75. Anônimo disse...
  76. Ola lendo esses relatos consegui lembrar o q queria deletar da minha vida, hoje tenho 26 anos namoro com mulheres e nunca contei pra ninguem o que aconteceu... Mas lembro de tudo como se fosse hoje, minha mae trabalhava o dia todo e nos deixava com dois irmaos, que eram os mais velhos um rapaz de seus 16 anos e minha irma deveria ter seus 14 anos, ficava de mais novos eu na epoca com 6 anos meu irmao com 5 e minha irma com 9. Meu irmao mais velho tinha um amigo que frenquentava la en casa devia ter uns 19anos, e ele abusava de mim me tocava ficava em cima de mim, me beijava, saia comigo nunca chegou a penetrar mais eu tinha tanto nojo dele achava ele ridiculo, e tinha vergonha que alguem visse ou descobrice como se a culpa fosse minha... com um tempo ele sumiu, mas se hoje eu chegar a ver ele concerteza vou conhecer...E uma coisa q nao queria que acontecesse nunca falei com ninguem.

  77. miguel disse...
  78. sem palavras para descrever tal dor que estas pessoas passaram. uma coisa eu tenho ah fala homem deste tipo sofrem muito conheço dois que fizeram isso com suas filhas só não chegaram ah estrupa mais tentaram por anos consuma o ato. um deles ah pouco deu um a.v.c esta sofrendo muito é quem esta cuidando dele? sim ah filha que ele tentou estrupa rs hoje em dia ele ussa fralda descartável por conta de esta em uma cadeira de rodas. uma coisa eu tenho certeza Jesus é justiça. já o outro de tanto pensa no que fez com ah filha entro em depressão. depois disso dois homem quebraram ah cara dele por 20 reais. depois disso ele foi fazer um cirurgia no rosto em virtude das pancadas que quebraram o osso maxilar. ele recebeu anestesia geral foi onde o medico não viu que ele era cardíaco ai morreu lá mesmo..

  79. Anônimo disse...
  80. Depois de ler tantos relatos aqui, fico me perguntando... Qual seria a punição adequada para esses FDP? :(

  81. Anônimo disse...
  82. Eu sei como é isso,é terrivel eu acompanhei minha amiga
    qe foi estrupada,pelo proprio namorado ele foi um canalha,foi buscar ela no curso e disse qe a mãe dle qeria flar cm ela e ela acabou indo msmo com o pé meio atras de sair pra outro lugar sem avisar os pais dla e ele disse qe seria rapido,qdo chegou na csa dle ela achou meio estranho,pelo fato da mãe dle smpre esperar ela lá fora,e nesse dia ela não estava,ta ela entrou e nem percebeu qe ele trancou a porta da sala e a casa estava toda trancada ela foi até a cozinha e não viu a mãe dle,e voltou para a sala e perguntou cade sua mãe e ele respondeu ela não está aqi e ja foi agarrando ela e jogou no quarto e nisso ela começou a chorar e se desesperar ela tentou escapar,mas ele era bem mais forte depois do qe fez sumiu do mapa,e até hoje ela sofre com isso e tenta levar a vida numa boa,mas tem dia qe da uma crise nela qe so Deus,ela so contou pra mim,pq eu percebi o estado dla notei qe não estava indo nocurso,e faltando mto na faculdade eu insisti mto pra qe ela me contasse,so qeria ficar no quarto e debaixo das cobertas poderia estar o calor qe fosse ela se trancava e se cobria.seus pais perceberam tbem mas ela inventou uma desculpa e eles acretaram tbem acharam,qe foi pelo fato dla ter terminado com o traste,mas com mto esforço hoje ela está bem está terminando a faculdade,namora.Não esqueceu é claro e odia ouvir o nome dle,uma voz parecida com a dle,ou até msmo uma pessoa igual a ele..Mas fora isso tenta viver bem.

  83. Anônimo disse...
  84. Hi there, just became alert to your blog through Google,
    and found that it's truly informative. I'm gonna watch out for brussels.
    I'll appreciate if you continue this in future. Numerous people will be benefited from your writing. Cheers!

    Also visit my blog; acoustic guitar chords for beginners

  85. Anônimo disse...
  86. Fui abusada quando era criança exatamente dos 4 aos 7 anos por um amigo da família um velho acredito que ele tivesse mais de 50 anos na época. Eu passei a odiar minha mãe por ela nunca perceber o que estava acontecendo comigo. Eu na época não sei pq não achava que era algo de mais. E sempre que ele me falava "vamos coisar" eu sabia o que era e até gostava e sempre quando ele terminava ele dizia é o nosso segredo e eu adorava a ideia de ter um segredo foi meu primeiro segredo e me persegue até hoje.
    Consegui me livrar dele quando fui morar com o meu pai. E a relação com a minha mãe nunca melhorou eu sempre pensava pq ela nunca percebeu o que estava acontecendo comigo as mães tem que perceber. Lembro que uma vez ele chupou meu corpo e deixou marcas e para a minha mãe não ver eu pedia para tomar banho sozinha. Mas, como ela não percebeu? Ela sempre me dava banho pq de repente eu queria tomar banho só?
    Enfim, a algum tempo fui à casa da minha mãe e o tal velho passou por lá quando vi a cara dele fiquei enojada vomitei só de lembrar o que ele fazia comigo ele me estendeu a mão para me cumprimentar e eu senti nojo e comecei correr (Andar me acalma) eu corri tanto que nem respirava direito.
    O que aconteceu comigo mudou minha vida hoje sou visivelmente infeliz não tenho apetite sexual. Transei com um namorado com mais de 18 anos e sempre pra mim era uma tortura pensar em transar e depois do ato me sentia (sinto) suja tomava banhos e banhos e é como se estivesse muito suja e meus namoros vão sempre se acabando. Atualmente estou namorando e contei a ele o que aconteceu comigo e ele tenta me entender sou sensível ao toque odeio que pegue nos meus seios e meu namorado me contou que até quando estou dormindo e ele tenta pegar nos meus seios eu grito e tiro a mão dele. A posição que eu durmo é protegendo meus seios.
    O pior de tudo e é o que me faz ter mais ódio de mim gosto de ver filme pornô crianças e velhos. Tenho atração por homens mais velhos. O que devo fazer?
    Me odeio muito.
    Estou com depressão e fazendo acompanhamento psicológico mesmo assim não consigo contar essa fase da minha vida.
    Choro muito e sou infeliz.

  87. juh disse...
  88. .. karay emosionante vey mas os outros problemas è so pergunta pra mae assim vcs vao c sentir melho

  89. juh disse...
  90. .. karay emosionante vey mas os outros problemas è so pergunta pra mae assim vcs vao c sentir melho

  91. Ro (Homem) disse...
  92. Eu fui abusado quando criança. Morávamos em uma fazenda e eu sempre ficava brincando próximo ao galpão da fazenda. Lá ficavam alguns dos empregados e também o caseiro.
    Eu tinha 9 anos e começaram a abusar de mim. Me mostravam o pênis como uma coisa super normal e ficavam esfregando ele nas minhas nádegas. No começo parecia legal, uma pura inocência minha. Até que aconteceu a penetração forçada, me machucando muito. Sangrava demais e isso se repetiu por alguns anos, até que fomos morar na cidade.
    Sempre tinha receio de voltar àquele lugar.
    Foi um lugar onde tive momentos muito felizes da minha vida, mas também foi um dos piores pesadelos vividos.
    Atualmente tenho 35 anos, sou casado e nunca pensei em ter filhos.
    Quando lembro desses animais eu penso muito em "caçá-los" algum dia e fazer com que sintam um pouco das dores que senti quando criança.
    Infelizmente nunca consegui esquecer isso.

  93. Anônimo disse...
  94. Querida não se sinta culpada,sua historia é muito triste,olha saiba que vc é preciosa para Deus,e vc não tem culpa,culpado foi ele,e outra o fato de vc gostar de homens não esta errado,eu torço e oro por você nesse momento e espero que vc supere tudo isso!Deus é contigo e lembre-se sempre vc é uma princesa do Senhor

  95. Anônimo disse...
  96. Oi, também tenho duvidas sobre minha sexualidade...
    Fui estuprada pelo meu pai quando tinha 12 anos, quado ele me estuprou a primeira vez eu fiquei inconsciente, acordei amarrada dentro do porta malas do carro, ele me levou a nossa casa de praia, onde me manteve amarrada e sendo estuprada e espancada por dias, quando acabava dizia que se eu dissesse algo faria pior com as minhas irmãs, voltamos para casa e ele inventou de fazer curso de massagem e treinava em todo mundo la de casa, eu nunca queria ir e ele me obrigava, se eu ão fosse seria com elas ele dizia então eu ia e aquilo parecia nunca acabar.
    Não me recordo de muitas coisas da minha infância... Recentemente minha namorada quis um sexo mais selvagem, quando ela me bateu na hora eu travei e as recordações fortes vieram a minha cabeça, quase enlouqueci querendo esquece-las, chorei muito e ela me abraçava dizendo que não era para doer tanto, só que o que ela não entendia é que não era a dor física... Tive meu primeiro namorado com 17 anos (ele era policial, foi de proposito), nunca mais meu pai me tocou, no entanto engravidei e tive uma filha, logo me separei dele e tive a minha primeira namorada e desde etão me relaciono com mulheres, não consigo mais me relacionar com homens, tenho repulsa - nojo...

  97. Anônimo disse...
  98. Minha mãe desde pequena sempre conversou com agente sobre estuproexplicava o que era e falar que podia ser qualquer pessoa que fosse ou da familia ou estranhos que eu contasse a ela de imediato ao contrario eu poderia ficar com bebe.Minha sempre dizia pra eu nunca sentar no colo de ninguém, nem se alguém me chamasse pra ir pra algum lugar ou entrar na casa de algum homem pro quaiquer motivos se ele tivesse so que eu não entrasse.Dizia tbm se algum homem chegasse a falar algo feio pra mim que eu saisse correndo e viesse falar pra ela.E eu lem bro que quando eu era pequena meu pai nunca deixava eu brincar com os amiguinhos do meu irmão que tinha quase a memma idade minha, e me puxava pelo braço se me visse brincando com meninos, agora eu entendo motivo tem criança que tem maldade. Minhas tias deixavam filmes pornos ao alcançe dos filhos delas e eles quando estavam sozinhos assistiam e ai as "crianças não tão crianças "
    Msa eu agradeço o que meus pais fizeram por mim e eu peço que vcs cuidem dosseus filhos, conversem com eles pra que se um dia isso vim acontecer eles souberem o que fazer e que vcs não iriam brigar com eles ou achar que estão mentindo !!!

  99. Anônimo disse...
  100. sou homem tenho 19 anos, e eu me sentir muito triste pelo que lhe aconteceu, não querendo lhe julgar, todas vocês que que relataram estes abusos vocês deveriam ter contado a alguém, para que este alguém pode-se tomar alguma providência, pois deste jeito que sabe vocês estariam salvando uma outra garota de ter sofrido este tipo de abuso, meu conselho pra todas vocês, se vocês quiserem denunciar vocês ainda podem pois existem uma lei especifica para isso, NÃO DEIXEM QUE ELES PENSE QUE PODEM FAZER O QUE QUISER QUE VAI FICAR POR ISTO MESMO, eu luto jiu-jitsu a alguns anos, e na minha opinião toda mulher dever aprender uma arte marcial para sua defesa, se alguma amiga minha ou parante relata-se tal abuso não tenha duvida que eu iria caçar esse desgraçado encher ele de porrada e depois chamar a polícia para o prederem, evitem que outras garotas sofram o mesmo abuso denuncie!

  101. Anônimo disse...
  102. Nossa,parece que somos todas iguais!A mesma coisa passa na mente de todas...sentimo-nos impossibilitadas de contar nossa verdade!Sofri abuso aos 8 anos de idade,nem peito tinha!O pedófilo?Um velho,imundo,nojento...Minha mãe me mandava buscar um leite gratuito lá na casa dele e ele me mandou pregar os tickets e então me abusou tocando nos meus seios e querendo me beijar (imundo!).Não tive reação,senti medo,não sabia o que fazer.Medo de contar à minha mãe por ela nos ter criado de forma repressiva.Eu achava que ninguém ia acreditar em mim...Aos 14 anos,carregando aquele roubo de infância,fui encorajada por uma monitora de crisma a contar pra família.Minha mãe ainda duvidou de mim por ter deixado passar tanto tempo,porém minhas irmãs(somos quatro) me apoiaram.Também tive dificuldades em confiar nos homens,e casei no primeiro namorado sério.Hoje tenho 35 anos,casada há 16,tres filhas,as quais não permito sair de casa sem mim ou brincar na casa de vizinhos.Mantenho-as comigo,a salvo e converso pra me contarem sobre qualquer episódio que viverem sem mim.Desconfio de tudo e de todos.

  103. Anônimo disse...
  104. Olá ogro.
    Estou tão perdida..
    Vendo esses depoimentos cai em lágrimas, por saber que tantas pessoas passaram por situações de abusos semelhante as que eu passei.. tenho 21 anos e fui abusada dos 16 aos 20 anos pelo meus dois tios . Sou fruto de estupro, e isso é algo que me mata por dentro, é uma realidade muuto dura pra mim ( sou filha do meu avô) tipo o meu avô pai da minha mãe abusou dela. Infelizmente vim saber disso agora e estou explodindo de raiva de tdo e de todos. Nas últimas semanas a única coisa q tenho feita é me cortar pra aliviar a dor q sinto na alma, sem falar das drogas que uso todos os dias.. Me sinto traida por toda a minha família..odeio eles..
    Saber que o meu pai é o meu avô foi o fim, ele tb já tentou abusar de mim várias vezes. Minha familia se é q posso chamar de família é uma negação. A minha vontade é de matar tdo mundo. Sinto ódio de cada um deles. Odeio a minha mãe. Odeio a minha avó .qro q todos morram.

  105. Anônimo disse...
  106. Sei que não foi fácil oque você passou moça. Me coloquei em seu lugar e sei como é difícil . Também sou uma moça assim como você e sou Evangélica. Deus Me colocou nesse mundo para ajudar almas feridas, pessoas que acham que não tem mais jeito . Mais saiba que Pra Deus nada é impossível. Passei por uma situação que hoje me arrependo de não ter contado para minha mae em primeiro lugar. Ela acima de tudo que acontecer sempre estará ao seu lado . Talvez guardar isso pra você mesma pode ser oque mais te aprisiona . Que historia difícil a sua. Sabe isso não te impede de ter relação com outros homens. Mas se entregasse sua vida e sua situação nas maos de Deus não sofreria tanto . Isso é uma coisa que nunca vai ser curado . Uma dor que sempre estará dentro de você. Já pensou em conversar com sua mae sobre oque aconteceu ? Esteja preparada pois ela vai ficar chatiada por você ter escondido tanto tempo dela. Talvez ela sim possa te ajudar melhor que esse blog aqui . porque mae é nossa melhor amiga. Ela tem os melhores conselhos.
    Procure uma igreja próximo a sua casa. Deus vai te ajudar nessa situação , não se envolva com mulheres apenas porque tem medo de se envolver com outro homem . oque aconteceu não foi culpa sua , Você não quis aquilo ! Agora vamos fazer uma coisa .. Pegue uma Pedra e coloque em cima desse problema e jamais deixe de viver por causa disso. Quando quiser um namorado deixa Deus preparar para ti ,, Os planos deles jamais são Falhos. E Quando essa pessoa PERFEITA aparecer em sua vida. Antes de tudo ele vai compreender sua situação, e todo seu medo e vai te dar toda confiança e apoio que voce merece. Espero ter ajudado de alguma forma. Fica na paz e saiba que Deus jamais te abandona .. *-*

  107. Anônimo disse...
  108. quando criança morava com minha familia num pequeno distrito.era um lugar onde todos se conhecem e tem laços de amizade.sofria abusos quando tinha 5 anos,o cara era tao sinico que ia na minha casa,que era do lado da dele e pensar que mamei no seio da mae dele e considerava ele como um irmao.ele esperava minha mae sair entrava na minha casa e fechava tudo me fazia fazer o que chama-se de sexo oral era tao nojento fazer aquilo e tambem ele fazia o que quisesse e alem de tudo me ameaçava que se eu nao fizesse o que ele mandava iria contar pra minha mae o medo de apanhar e a inocencia de menina me fizeram ficar calada durante muito tempo hoje em dia tenho 16 anos e ate hoje lembro o que me aconteceu,é como lembranças que nao querem ser esquecidas e que me remoem sentimento de nojo culpa medo pois ate os dias de hoje nao contei pra ninguem da minha familia quando escutava minhas amigas falar de virgindade eu deconversava pois o sentimento de raiva sei la todo o sentimento ruim que uma pessoa possa ter.ate cheguei a querer me matar pensei em desistir da minha vida por um desgraçado que hoje em dia paga na pele todo o mal que me fez.

  109. aline brandao disse...
  110. Como pode alguem ser tao insencivel quando se fala de assunto tao delicado como este ,so quem passou que sabe o quanto doi e como é dificl viver algo assim sinto tanto por cada uma de vcs e sei perfeitamente como se sente

  111. aline brandao disse...
  112. e o pior de tudo é saber que, hoje aos 27 anos nao tive coragem nem de contar a minha mãe, nao sei pq sinto tanta vontade de gritar e chorar nesse momento so desejo felicidades pra cada uma de vcs

  113. Liih e Viih !!! disse...
  114. Gente como faço para deixar meu depoimento?

  115. Anônimo disse...
  116. Quando eu tinha 5 anos eu comecei a frequentar a casa do meu bisa vo depois da escola... quase todo dia ele me dava banho e falava pra eu ficar só de calcinha prã eu não suja a roupa pq minha mãe ia brigar comigo....eu criança concordava com ele! Começou com banhos depois ele pedia pra sentar no colo dele e começava a passar a mão em mim! Eu não entendia o que tava acontecendo achava que era só carinho!e eu gostava daquilo...eu até pedia pra minha mãe me leva lá na casa dele! Ele começou a brinca com minha vagina até um ponto que eu ficava nua no colo dele e ele mé "masturbava" eu sentia aquela sensação que pra mim era novo e eu gostava daquilo..ele abria minhas pernas e ficava me esfregando ele dizia que era só uma brincadeira que eu não dívia conta pra ninguém!aí quando eu completei 10 anos ele me dava dinheiro em troca desse "carinho" Nunca houve penetração vaginal não sabia que era um abuso eu só achava que era carinho! Aí com uns 10 pra 11 anos ele tentou penetrar no meu ânus! Comei a sentir muita dor e falei pra ele para é ele não parava aí tinha um copo do lado do sofá e tentei queria nele... e sai correndo depois que corto o rosto dele...aí eu sentia tanta dor e medo daquilo que contei pra minha mãe ! Que ele tinha tentado me penetrar...Ela não tomo nenhum partido disse apenas pra u não ir mais lah...que não podia fase nada pq ele já tava muito velho...Hoje eu sei que era abuso... me sinto enojada e suja...nunca contei pra ninguém só minha ame sabe! Ele acabou morrendo anos depois isso me deixou menos louca ! Hoje tenho 28 anos e nunca tive um relacionamento !

  117. Anônimo disse...
  118. Hoje gostaria de expor oque me ocorreu quando tinha meus 12 anos de idade.
    Não chegou a rolar sexo, más fiquei muito mal com tudo e escondi com medo do que minha família poderia achar.

    eu estava passando as férias na casa dos meus tios, onde meu pai também morava, em um certo dia veio a notícia que a Tia do meu pai havia falecido, e ela morava em uma cidade longe de onde eu estava, meus tios foram todos para o velório e me deixaram na casa com minhas primas e o pai delas.

    durante a noite colocamos o colchão no chão para que todas dormissem juntas, bem na frente havia uma raque que tinha um aparelho de som dentro com uma pequena fresta aberta, onde era possível ver a luz do rádio.

    Todas adormecemos inclusive meu tio na cama de casal sozinho, em uma certa horá senti algo na minha perna esquerda (região da panturrilha), como se ouve-se alguém passando a mão em mim, eu olhava, me mexia, más como estava escuro não conseguia ver nada. As passadas de mão continuavam e subiam cada vez mais até char nas minhas coxas e eu achava que estava sentindo coisas, porque estrava sonolenta. Foi quando a luz do rádio sumiu da minha vista, como se algo tivesse passado na frente e logo ela apareceu, nesse momento levante e vi meu tio sentado aos pés dos colchão, eu levantei desesperada e correndo para o piso inferior, ele foi atrás e me pedia que não fala para não contar a ninguem oque havia ocorrido. Eu olhei para os olhos dele e disse: - se você tentar relar a mão em mim novamente eu te mato, e conto para todos oque você me fez. Ele não parava de pedir desculpa, depois disso foi dormir no quarto do meu pai sozinha e com medo. No outro dia meu pai chegou e meu tio foi trabalhar, não tive coragem de contar para ele. Depois do ocorrido me afastei dessa família, e depois nunca mais consegui que um homem no qual eu não tivesse afinidade toca-se em mim, é como se a pessoa quisesse se aproveitar de mim.

    hoje estou com 23 anos, e ano passado contei a minha mãe o ocorrido, ela ficou surpresa, más contei de forma superficial para não a constranger.

    Não sei como teria sido minha reação se acontece-se o estupro.
    Más a dor causada no psicológico deve ser irreversível.

    Um beijo a Todas mulheres.
    Não se calem nunca.
    É importante falar e denunciar esses monstros.

  119. Anônimo disse...
  120. EU tinha pouco mais de dois três anos no máximo me lembro claramente que o cara que era meu pai me colocava em cima dele deitado e pedia que eu chupasse sua língua e ficasse chutando suas partes intimas , isso me fez criar horror a ele que já é falecido e até hoje me pergunto porque ele fez isso comigo, depois de um certo com menos de quatro anos um primo meu bem mais velho me masturbava e eu não entendia aquilo lembro-me que um dia eu me neguei chorei gritei mas não tinha ninguém pra me ajudar e mesmo assim o maldito me tocou, queria morrer naquele dia mas depois desse episodio criei um certo tipo de ódio dentro de mim , na minha adolescência o meu irmão mais velho vivia me assediando e assediando minha irmã , eu sempre falava pra ela nunca ficar só com ele , um dia ela estava limpando casa e ele estava se exibindo e masturbando na frente dela pra que eu fiquei com tanta raiva que peguei o rodo e acertei com toda força no membro dele que na hora ele fez uma cara de horror, mas foi bem merecido, com o tempo eu me tornei bem mal , não confio em quase ninguém e sempre estou pronta pra me vingar daqueles que me ferem ou ferem quem eu amo , acho que doeu muito porque ate hoje ele tem ódio de mim e eu dele , pode ate ter meu sangue mas eu odeio essas pessoas ate o fim da minha vida , e minha mãe sempre acreditou nele porque eu sempre falava pra ela e ela nunca deu a mínima, sempre achava que era mentira eles sempre falam que eu era uma criança malvada , não gostava de aproximação física de ninguém, e quando acontecia sempre me esquivava consegui dá o meu primeiro beijo sem língua só aos 17 anos , perdi a virgindade aos 21 com meu marido depois de quase dois anos de namoro , pois foi ele que me ensinou que nem todos os homens são uns monstros , e o pior na maioria das vezes estão dentro de nossas próprias casa ,e como seria bom se alguém na primeira vez que tudo aquilo aconteceu acreditasse em mim.
    Por isso digo acreditem nos seus filhos , e se não acreditam passem confiança e comece a investigar isso pode salvar uma criança de ser um adulto traumatizado.

  121. Maycon Silveira disse...
  122. Eu tenho algum problema. Todas minhas ex-namoradas/transantes sofreram abuso sexual.
    Minha mão foi abusada dos 9 aos 10 pelo cara que cuidava dela. Esse foi o mesmo cara que matou a minha avó para ficar com a minha mãe. A esposa desse cara sabia de tudo, mas nada fazia.
    Meu irmão de 28 anos provavelmente é fruto de um estupro, de uma vagabundo com a minha mãe. O engraçado é que esse irmão é a sina do pai: vagabundo, traficante, preguiçoso.

    Enfim, minha mão e minhas ex tem algo em comum: abuso sexual.

  123. Anônimo disse...
  124. Também sofri algumas coisas, não chegou a ser estrupo, mas foi abuso.
    Quando eu tinha em torno de 7 anos mudei pra casa da minha mãe, lá não sei como eu conheci um cara que era até meu vizinho, ele tocava em mim, pedia pra eu afastar a calcinha e ele até tocava. Nós nos sentávamos em um banco na frente de sua casa, era e ainda é sem saida, pouca gente passava por lá. Uma vez ele me pediu pra colocar a mão no seu bolso e eu coloquei mas o bolso era sem fim e eu acabei pegando no seu pênis, um dia ele pediu que eu entrasse porque ele poderia "me chupar" e seria bem melhor, eu neguei(mesmo eu sendo muito lerda na epoca)depois disso nunca mais fui lá e dou graças a Deus por isso. Pior é que desde o ano passado até mais ou menos no mês de agosto desse ano meu padrasto estava me "perseguindo". Começou com ele indo se ajoelhar ao lado da minha cama, eu nunca entendi o que ele fazia e na hora que eu acordava ele levantava e ia quase que correndo pro seu quarto,isso aconteceu muitas vzs, mas eu nunca contei pra minha mãe.
    Quando mudamos de casa, passei a ter um quarto só pra mim, mas não tinha porta, tinha uma cortina, acho que isso lhe deu mais liberdade
    e ele me fazia visitas noturnas, eu acordava e encontrava ele me olhando com a luz do quarto acesa. Uma noite eu dormi no sofá e quando acordei minha roupa estava toda repuxada e ele tava do lado, eu levantei a cabeça e ele me deu um beijo no pescoço (eu tenho lembranças de como se tivesse acontecendo agora). Numa outra noite eu fui dormir pelada pq eu tinha ouvido que era bom e estava fazendo muito calor, eu o encontrei olhando pra mim, eu puxei os lençois tentando me cobrir e eu não sei se eu gritava ou algo do tipo mas eu pedia pra ele sair. Ainda hj tenho certas coisas como muita ansiedade, estresse, crises de pânico... Que provavelmente derivaram disso. Ontem eu falei com ele pelo telefone(eu nem sabia que era ele pq o número é da minha mãe), pra ninguém desconfiar eu tentei falar normal, depois eu fiquei bastante ruim, corri pro banheiro e tentei me acalmar eu ficava revivendo tudo como se tivesse acontecendo de novo e olha que ele não chegou a me estrupar só abusou.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...