"Tenho 23 anos e sempre tive um relacionamento bem conturbado com a minha mãe"

Posted: | por Felipe Voigt | Marcadores: ,
Querido Ogro;

Descobri o seu site tem mais ou menos uma semana. E só agora tomei coragem mesmo pra falar alguns probleminhas da minha vida. Minha história não é tão forte como o das meninas que li no seu site, mas para mim pesa o suficiente para causar dor e vontade de mudar.

Tenho 23 anos e sempre tive um relacionamento bem conturbado com a minha mãe. Consegui chegar a conclusão de muita coisa com a auto-análise mesmo. Fui uma adolescente completamente retardada, daquelas que precisam aparecer, namorei um cara com 13 anos de idade que me batia (depois que dei pra ele, né?), para mim na época o amava muito e como tinha perdido a virgindade com ele não queria mais ninguém, queria casar com ele e ponto.

Mas graças a Deus com muita força do meu pai e dos meus amigos, consegui abrir os olhos. Já têm um bom tempo que reconheci que ele é o merda dos merdas. Não sei se namorei ele pra chamar a atenção da minha mãe, se foi para despejar todo o carinho e amor que tinha para dar, mas só sei que mandei mal pra caralho!

Mas quero voltar mais ainda ao tempo. Quando eu tinha uns 6 anos de idade, uma menina de 16 anos passou por mim na rua aonde eu morava e quando olhei pra ela, peguei na mão dela dizendo: quer ser minha amiga?! E a puxei pra baixo dando um beijo em seu rosto. Foi amor a primeira vista. Ela cuidou de mim por pouco tempo, menos de um ano. Minha mãe me deixava muito com ela. A verdade é que minha mãe era muito ausente. Reuniões escolares ela faltava, peças de teatro ela chegava no final, não me lembro de brincar com ela. Mas essa menina sim! Até nas atividades escolares ela aparecia. Ela preencheu naquela época muito essa ausência da minha mãe. E olha que minha mãe era dona de casa heim! Ela vendia jóias, roupas, sei lá mais o que...

Lembro que meu pai trabalhava o dia todo, mas me dava muito mais atenção do que ela. Ele é o meu herói e sempre será. Muitos dizem que eu sou o meu pai de saias. O carinho, a simpatia, a sensibilidade, todas essas características nossas são muito parecidas. (Você vai entender depois o pq da menina de 16 anos)

Quando eu estava com 13 anos namorando aquele psicopata, a minha mãe vira pra mim e simplesmente conta que traiu o meu pai com o irmão dele. Ela me conta feliz! Caracaaaaaaaa, o meu pai que sempre foi O cara pra mim, o pai foda, o marido que não sai com os amigos, vive definitivamente pra família. MESMO, NÃO É QUERER BABAR O OVO DELE NÃO. Ele é muito família. Ele podia até ter problemas com ela, mas trair com o irmão dele? Porra! O pior erro da vida dela foi ter me contado isso. Carrego uma cruz, pq a minha vontade é de defender ele dos egoísmos e das ruindades dela. Aí paro pra pensar: ela sempre foi egoísta, sempre colocou em primeiro lugar os sapatos dela, as bugigangas, do que os próprios filhos.

Eu tenho um irmão que saiu de casa com 14 anos e foi morar com os pais do meu pai e está lá até hoje (ele tem 25 anos). Pq minha família enlouquece qualquer um. Meus pais brigam demais. E é de xingar da porra toda. Meu pai sempre ficou revoltado com o fato dela não ser mãezona, de ameaçar os próprios filhos em uma briga deles. Minha mãe dava ataques de ciúme do meu pai por causa das mulheres que haviam no trabalho dele. Clientes e etc... Mas meu pai nunca dormiu fora de casa uma noite, a não ser que ele estivesse viajando. Sempre deixou ela futucar tudo dele. Sempre se preocupou em deixá-la segura! Mas ela era desconfiada pq?? Pq ela era capaz de fazer e fez!! Mas é óbvio que o meu tio comeu ela e só né? Ela queria ficar com ele. Cheio do dinheiro tb. Mas ele pulou fora rapidinho quando ela falou em algo mais sério.

Fui crescendo com isso na cabeça e qualquer briga que tivesse com a minha mãe eu jogava na cara dela que era uma puta, que traiu meu pai e o caralho a quatro. Não fui mole também. Queria massacrá-la! E consegui muito... ela chorava, falava que tinha se arrependido, ela estava apaixonada blá blá blá. Na minha concepção de vida, a gente faz pq nos permitimos fazer. Se ela tivesse caráter, não teria permitido isso.

Tenho amigas e nunca olhei diferente para nenhum namorado delas... Sempre tive muito respeito, tenho e sempre terei. Sei que as pessoas não são iguais, mas junta tudo e veja se eu não vou crescer com algum problema no meio dessa loucura? Óbvio!

Engordo e emagreço demais, minha auto-estima é PÉSSIMA. As pessoas falam que sou linda, que poderia ser modelo fotográfica e o cacete a quatro... Não consigo enxergar isso de maneira alguma. Já tive 8 namorados, amei apenas um, que demorei 4 anos pra esquecer. Hoje não gosto de ninguém... Mas sempre procuro uma fonte de segurança. Preciso ser elogiada, preciso ser amada, e não me basto. Saio na night e acho que ninguém vai olhar pra mim, pois estou fora do peso e todos os caras querem mulheres magras.

A minha parte boa foi toda para o trabalho. Virei gerente rápido, aumentei faturamento de empresas, sou mega elogiada no trabalho... é a única parte que eu sei que sou boa mesmo! Hoje tenho muito mais vontade de estudar do que antes, aprendo mais rápido e tudo mais. Sempre sou eu que dá conselhos pra todos, mas nunca cuido dos meus problemas. Minha auto-estima é péssima mesmo. E como acho que isso vêm de uma infância com buracos, falta de amor materno, estou querendo recomeçar. Já perdoei minha mãe, nunca mais xinguei ela... Cuido dela e do meu pai mesmo sabendo que eles seriam muito mais felizes separados. Sou família pra cacete!

To na dieta firme e feliz nessa parte. Mas com homens... PQP! Namoro pra gostar... não gosto pra namorar.. aí já viu, né: o primeiro que aparece eu pesco e dou todo aquele amor que tanto tenho pra dar. Já que não pude trocar essas emoções com a minha mãe. Adoro trepar mas não consigo fazer um simples sexo casual.

Ogrinho, me empolguei falando. Desculpa se repeti ou desandou, mas mexe comigo demais quando paro pra pensar em tudo desde o começo. Parece que sei o que se passa, mas não sei como resgatar a auto-estima depois de tudo. Tô cansada de ser neurótica com os caras, sempre desejando amor integral... tenho pavor a traição... QUERO MUDAR ISSO... Se puder me ajuda! Pode descascar! OBS: Fiz esse email só pra poder escrever pra vc... se sou psicótica, vc vai me dizer... rs!

Cara pretensiosa,

Acho que já está mais do que na hora de você baixar a bola, não acha, não? Muito do que diz entra em um conflito com outras coisas que afirma depois. Já está com 23 anos, tá precisando começar a desmanchar esse ideal de mundo moderno que insiste em criar e buscar. O mundo não é como gostaríamos que fosse. Acorde pra isso e pare de julgar aqueles que te cercam. De perto, ninguém é normal. Lide com isso!

Você crucifica sua mãe e a ausência dela como justificativa para uma série de problemas que alega ter. Mas será que se ela fosse diferente você seria diferente também? Afinal, você teve um pai presente, zeloso e que cuidava de você. Ou seja: ele era o contrapeso da sua mãe. Você foca seus defeitos nela mas não ressaltas as qualidades oriundas dele.

Está projetando suas dúvidas e vazios no lugar errado. Muito do que disse que fez na adolescência, por exemplo, reflete apenas o período. TODO adolescente faz merda, é inconseqüente, se sente um merda e o escambau. E sempre faz pra questionar o ambiente em que está, pra chamar atenção, pra exteriorizar a sensação de ser único no mundo, de que ninguém mais irá entender o que se passa naquela cabeça cheia de hormônios e dúvidas. Uns se cortam, outros se drogam, outros montam bandas, outros tem relacionamentos conturbados. Tudo para questionar o status quo vigente.

Esse seu relacionamento, mesmo, em que apanhou do cara. Já pensou que você aceitou tal situação por três motivos? Primeiro: era uma “novidade” pra você e não sabia como lidar, já que tinha apenas 13 anos. Com essa idade não sabemos nem nos masturbar de acordo! Segundo: você estava conhecendo a paixão de pica! O cara te comeu, foi seu primeiro, você ficou apaixonada pelo tesão. E terceiro: pode ter sido uma maneira inconsciente sua de se voltar contra a realidade que tinha em casa. Afinal, você via seu pai se submeter à sua mãe queria rechaçar essa realidade. Lhe soa compreensível esse cenário?

Sua “amiga” de 16 é apenas uma muleta emocional que agora você encontra para justificar uma relação manca com sua mãe. E é manca porque você tem colocado peso demais nessas pernas. Ela esteve com você por um ano, dos 6 aos 7 anos, idade em que crianças querem companheiras de brincadeira enquanto as mães se preocupam em serem mães e cuidarem de sua casa, seja qual for a forma que ela escolheu\aprendeu.

Compreendo que seja foda pra caralho ouvir da sua mãe que ela traiu seu pai com o irmão dele. Mas será que ela não disse isso num anseio de precisar se livrar da culpa e viu em você um “porto seguro” pra contar esse avassalador “pecado”? Ela errou, caralho! E daí? Supere isso! Quem garante que você não errará com seu futuro marido, também? Seja numa traição física, numa traição moral ou em uma traição de conceitos?

Não defendo o que ela fez, mas também não condeno: em um casamento, cada um sabe pelo que passa. Fácil apontar o dedo sem saber dos motivos. E por mais que você seja parte dessa família, você não sabe o que sua mãe passava com seu pai. E mesmo que ela tenha feito por “sacanagem descabida de propósito”: quem é você pra se sentir superior a ela? Você é apenas sua filha, não é sua proprietária feudal. E mães erram... mulheres erram... seres humanos erram!

Até dá pra notar que a forma que usa pra se referir a ela tenha vindo muito do que ouvia de seu pai. Isso tem muito cara de marido ressentido reclamando com a filha sobre a mulher “ausente”. Sem saber, você criou todos esses conceitos sobre ela baseada no que ele te falava. Mesmo que não se lembre. Aí você passou a demonizar sua relação com ela e endeusar a com ele. Pense e responda: é impossível que tenha sido, de alguma forma, sugestionada por ele a pensar assim?

E quando disse que seus atos se contradizem, apenas releia o texto: no final diz que perdoou sua mãe e nunca mais a xingou. Mas durante o relato, disse coisas absurdas dela, tentou pintá-la como uma devassa relapsa. De que adianta não xingá-la diretamente se internamente você continua a fazê-lo? Essa porra de perdão é algo superestimado, mesmo: bonito no papel, lindo no discurso mas horrível na aplicação prática.

E todo o resto que se queixa sobre sua forma de ver o mundo e como o mundo te vê é apenas recorrente da vivência do ser humano. Daqui 10 anos você terá as mesmas dúvidas, surgidas de maneiras diferentes, com outras vestimentas e com outros personagens. Daqui 20 anos também. E assim vai... Se permita errar, se permita ser idiota, se permita sentir o que sente, seja medo, seja desconfiança, seja paixão, seja tesão, seja vontade de algo. Se permita. Dispa-se de você mesma quantas vezes for preciso. E se proteja em você mesma quando o mundo lhe for cruel, injusto e agressivo.

Não olhe mais pro passado, essa porra ficou pra trás, caralho! Nem projete demais o futuro. Viver é uma das efemeridades mais gostosas que podemos nos ter.

Tudo o que passou, sentiu, sofreu e presenciou foi real pra você, não estou minimizando. Apenas vejo que encontrou nisso uma trincheira confortável. É mais fácil se esconder, não? Desça do salto, converse com sua mãe por igual: ambas são pessoas que erraram, erram e errarão. Não a julgue tanto assim. Ela mesma já deve ter feito isso muito ao longo desses anos todos.

Quer ser superior? Leve a compreensão e não o dedo em riste.

8 comentários:

  1. Anônimo disse...
  2. Ter mãe eh algo complicado, ser mãe eh mais complicado ainda. Todo mundo esquece que elas são seres humanos passíveis de erro e, pelo que me parece, lendo o texto, sua mãe era um ser que buscava, tanto qto vc, ser entendida e aceita pelo mundo. E, nessa tentativa, cara amiga, todos cometemos erros, pq o mundo simplesmente não eh justo o suficiente. Vc esta sentindo o julgamento do mundo. Sua mãe tbm o sentiu... Como o Felipe bem apontou vc e sua mãe não precisam de julgamento e sim de compreensão. Meu abraço a vcs!

  3. Anônimo disse...
  4. É foda. Passei (e passo) por uma situação muito semelhante. Não consigo perdoar minha mãe pelo fato dela continuar fazendo merda atrás de merda. As merdas lá de trás eu já perdoei, mas ela consegue se superar e derrubar qualquer tentativa de resgate de confiança que eu deposite nela.
    com isso me afastei. Nunca tive um relacionamento mãe e filha com ela mesmo.
    E a distância foi o melhor, no meu caso.
    Apareço de vez em quando.
    Ela aparece de vez em nunca.

    Encontrei outras mães pelo caminho. Mães de amigas e até mesmo sogra.

    Fica uma lacuna.
    Mas nada é perfeito e sigo minha vida sem dar muito crédito pra isso, como já dei anteriormente.

  5. Anônimo disse...
  6. comigo aconteceu uma coisa assim..na separação dos meus pais fiquei com o meu pai, e o que ele dizia era:" sua mae nos abandonou". apesar de não ser tão pequena, tinha 12 ou13 anos, acreditei naquilo de uma forma que eu nao queria ver mais nada. fiuei com meu pai durante 2 anos, humilhando a minha mae, até cair na real e descobrir que eu viajei feio, e fui muito escrota! ela tem os defeitos dela, mas é minha mãe, e com certeza teve BONS motivos pra ter deixado a nossa casa, enquanto meu pai dizia: ela abandonou! eu no lugar dela teria feito isso a mais tempo, visto o filho da puta que ele foi durante o casamento inteiro, hoje eu admiro a coragem dela, e consigo entender os motivos. o fato é que nõ podemos julgar ninguém, eu tive tempo de reparar os meus erros e entender a minha mae, nem sempre dá tempo. bjo a todos

  7. Anônimo disse...
  8. Eu sou a conflitante..Li sua resposta querdo ogro. E mesmo que na hora tenha doído saber que ainda estou tanto em conflito, adorei ter lido o que escreveu. Eu achava que estava resolvido essa parte com ela e queria saber como melhorar o meu eu depois de tudo. Mas a verdade é que ainda não consegui perdoa-la e julgo cada atitude dela...Tento mudar a sua forma de ser o tempo todo..coitada...deve ser muito ruim isso... Mas só queria q ela demonstrasse de um jeito melhor o seu amor por mim...Essa menina que tinha 16 anos na epoca disse q eu era completamente louca por ela...
    Em relação ao meu pai, discordo. Meu pai sempre tentou fazer aquela imagem de família feliz. Ele tentava esconder as brigas sim, mas não sou idiota né. Quando ele viu que reparei os defeitos da minha mãe que encomodam a ele e a mim, aí sim ele começou a despejar tudo. Chora depois de uma briga comigo. Pergunta pq q q ela é assim? E sinceramente eu no lugar dele ficaria louca tb...rs Eu falo que ele é um banana as vezes...pq não se separa pai?!Mas não dá pra julgar né? Ela deve ter algum probema de cabeça, sei lá... Concordei no resto todo com vc! De verdade. Vou fazer um exercício mental diário para poder conviver melhor com essa situação e de uma vez por todas olhar para ela diferente, independente do que me deixe revoltada. Obrigada aos comentários. O alívio de ler, eu sei como é isso... é muito bom. Compartilhar é muito bom!
    E por último em relação ao comentário que diz ter saído de casa e assim ficou tudo melhor, acredito que comigo será a melhor maneira também. Encontrei outras segundas mães pelo caminho também e sem dúvida me sinto muito bem ao lado delas. Mas minha mãe é minha mãe e ngm nunca substituirá. É por isso que o fato de eu ter um paizão não equilibra 100%, pq mãe é mãe...Beijo enormeee!

  9. carol disse...
  10. "Quer ser superior? Leve a compreensão e não o dedo em riste."
    Ainda resistente... mesmo no próprio comentário...
    Filho quando toma partido é foda...
    Nossa família mesmo quando nos ama, não nos ama exatamente do jeito que a gente queria... ninguém nos ama do jeito que a gente quer e sim do jeito que pode, do jeito que consegue.
    Já parou pra pensar que talvez sua mãe tb queira ser mais amada por você??
    Não dá pra julgar nenhum caso.. a gente se mete pq é filho, mas a verdade é que não deve...
    Falo pq já fiz isso e conforme a maturidade chega, vc percebe que aquilo é um problema de casal e não de família...
    Beijosssssssss

  11. Julia disse...
  12. Acredito que sua mãe não é santa, mas não tenho a menor duvida que seu pai tbm não. Se sua mãe fosse totalmente feliz com seu pai, se seu pai fosse perfeito ela não o teria traído. Mesmo que fosse algo pequeno, é certo que ele falhou em algumas coisas com ela, que a motivaram a procurar algo diferente. E realmente tá na altura de crescer né? Seu pai pode ser muito legal com vc, mas relação de pai e filha é bem diferente de marido e mulher, conheço casos em que o homem é perfeito marido e um péssimo pai ou vice-versa. Não acho que se afastar da sua mãe sem tentar compreender ela de verdade seja a melhor solução, porque a unica direção que eu vejo suas palavras tomarem é de censura. E percebe-se que vc não tentou saber de tudo. Vc não aceita que apontem o dedo ao seu pai e é aí que vc erra feio e por isso nunca vai compreender sua mãe. Mais uma coisa : casamento é a dois, quando um comete um erro, o outro tbm tem seu dedo nisso, mesmo que sem querer. Então repense bem em tudo, preste atenção aos dois lados e não julgue nenhum, afinal vc tbm errou feio na vida e ainda vai errar. Dia de amanhã não nos pertence de todo.


    Carol tem razão, filhos quando colocam algo na cabeça fica dificil mudar, principalmente quando a maturidade ainda oscila.

    Entretanto, boa sorte pra vc, abraços para todos, Querido ogro for the win.

  13. Anônimo disse...
  14. errado mae é tudo

  15. Anônimo disse...
  16. Eu também tenho um PÉSSIMO relacionamento com minha mãe, mesmo sendo um garoto.
    O meu MAIOR SONHO é morar numa casa longe da dela, sem qualquer tipo de contato.
    Ela é uma péssima mãe, eu um péssimo filho.
    Tenho mais 3 irmãos e ela os ama, ela mesma disse que me odeia e ama eles. Disse que o maior erro dela foi ter me "feito". Penso em me suicidar sempre.
    Cada vez que temos uma discussão, a vontade do suicídio aparece. Minha mãe é meu maior e mais perigoso inimigo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...