"Tenho sido agredida pelo meu marido desde que éramos namorados..."

Posted: | por Felipe Voigt | Marcadores: ,
Querido Ogro...

Talvez eu seja apenas mais uma! Uma vítima qualquer que se deixa levar por um fio de esperança.

Tenho sido agredida pelo meu marido desde que éramos namorados. Tínhamos nossa filha bebê ainda, eu morava com meus pais e ele com os dele. Eu sempre ficava em casa enquanto ele saía e aproveitava a adolescência dele, eu nunca reclamei sobre isso... até que um dia ele voltou de uma viagem com uma marca no pescoço!

Quando eu vi, tremia muito, fiquei branca e não conseguia nem perguntar como tinha acontecido aquilo, ele me segurou pelos braços e muito nervoso me empurrou, isso aconteceu no quarto da minha mãe. Logo depois fomos pra casa dele e a mãe e a avó dele perceberam que eu não estava bem. Eu disse o porque e elas foram argumentar com ele o que era aquilo no pescoço dele, ele ficou extremamente nervoso, descemos pra frente da casa dele e no portão ele discutiu muito comigo e me jogou contra o portão e só parou pq viu sua irmã chegando. Bom, eu tinha 17 anos e hj tenho 31.

As brigas não pararam, sempre por motivos muito bobos ou muito sérios, como traições. Porém sempre revidadas com agressões, umas mais graves outras nem tanto... quer dizer, nem tanto do meu ponto de vista que já passei por mil tipos de violências.... sempre perdoava, sei que da boca pra fora, mas perdoava, com a esperança de que não acontecesse mais, acreditando no perdão que ele me pedia e nas promessas que ele fazia... parece não ser diferente de nada do que todos vcs estão acostumados a ver por aí, na TV, nos jornais, etc....sim, é verdade, sou dependente emocionalmente e financeiramente dele... hj nossa filha está com 14 anos e presenciou muitas brigas e agressões, ela é muito mais adulta que eu, sempre me dá conselhos, fica do meu lado, sofre comigo...

Vcs devem estar morrendo de raiva de mim por eu me deixar passar por essa situação...tenho tudo, e ao mesmo tempo não tenho nada, tudo que é me dado é cobrado por comportamentos exemplares...quer dizer...não posso ter TPM, não posso ficar triste, não posso chorar, não posso rir, não posso fazer nada que esteja fora do que ELE acha correto pra que vivamos bem.... é, eu sou uma boneca, controlada emocionalmente.

Tenho culpa, por deixar que isso aconteça, por não ter capacidade de tomar uma atitude, por medo, por covardia, por insegurança....Quem dera eu fosse 10% tão linda por dentro quanto sou por fora....minha beleza só me dá mais dias pra sonhar, pra ter esperanças, tenho por fora aquilo que toda mulher almeja esteticamente, por outro lado, tenho por dentro aquilo que nenhuma mulher quer pra si .... Eu desejo mudar...acho que desejar é mais do que dizer “eu espero” mudar e espero que ele mude também....

Eu sinto muito por todas as mulheres que passam por isso e desejo que vocês sejam mais fortes que eu... Que sejam mais mulheres que eu! Que nunca percam as esperanças, mas as esperanças de serem felizes... por vcs e não pelos outros.


Minha querida:

Que bom que vc trouxe esse depoimento. E que ótimo que teve coragem de falar sobre isso.

A questão da violência contra a mulher é abordada frequentemente por mim no Twitter e no outro blog. E é assim que se trata essa questão: confrontando-a de sempre, sem medo ou vergonha. É preciso expor para enxergar a solução. E acredite: há solução para isso...

Não adianta muito eu pegar pelo lado da superação pessoal pois isso vc mesma já sabe e até comentou no depoimento acima, quando disse ser uma "bonequinha controlada emocionalmente". Vc sabe que isso não é certo, vc tem a noção de que precisa mudar... apenas não sabe como nem por onde começar.

Bom, vc já começou. Teve coragem de assumir um problema que te abala profundamente... e o fez a um desconhecido. Vc se "expôs" a mim, em busca de algo que te faça enxergar uma resposta. Só essa atitude já te dará uma forma diferente de lidar com o problema. Vc começou a buscar forças... aquelas forças que tem dentro de vc e esqueceu que as tinha.

Não se sinta envergonhada por passar por essa situação há tantos anos e nunca ter tomado coragem de fazer algo. A vergonha, quem tem de sentir, é ele! ELE está errado, ELE é o covarde do caralho que não respeita a mulher e mãe que vc é.

Sim, esse é o ponto que vc deve buscar forças para sair dessa situação: sua filha! Pare e pense: que tipo de referência masculina ela teve ao longo desses anos todos? E imagine agora, aos 14 anos, quando os namoros começam a surgir, que tipo de "homem" ela irá "suportar"?

Das duas, uma: ou ela irá se revoltar profundamente contra qualquer forma de violência ou irá se "solidarizar" com vc, caso algo parecido aconteça a ela. Ou seja: se um dia ela for agredida por um namorado, irá sentir na pele o que vc sente e estará, inconscientemente, mais "próxima" da sua dor... e irá agir como vc, pelos mesmos motivos.

Compreendeu como esse caso pode afetar não apenas vc, pelo resto de sua vida? Deixará graves sequelas emocionais e comportamentais na sua filha! Afinal, ele não pensa nela ao te agredir... muito menos em vc!

Faça-o sentir vergonha por ser covarde, ameace-o e cumpra a ameaça: se ele encostar o dedo em vc, vá até uma Delegacia da Mulher... Dependência emocional e financeira cura-se com o tempo: mas cicatrizes na alma não!

Acredite: se ficar solteira, sozinha com sua filha para cuidar, irá buscar soluções onde nunca imaginou achar. Quando a água bater na bunda, vc irá levantar... Busque no amor que tem por ela a força necessária para encontrar o amor que tem por vc mesma!

Quanto a ele, não pense que faz isso por "te amar demais", nem que ele vá mudar um dia. Aprenda: as pessoas nunca mudam... se ele era diferente antes, é porque estava adaptado à uma situação. Quando deixou de se adaptar, mostrou a real face dele. Ele não vai mudar pq ele é isso: um covarde que se acha dono de vc, quando na realidade não é dono nem do próprio cu!

Escrevi um texto em novembro e sempre o uso pra exemplificar minha posição quanto a esse assunto:


Recomendo que envie o texto para esse filho da puta... e passe meu contato, também: caso ele tenha vontade de agredi-la novamente, que tente me agredir primeiro. Ou será que o cuzão só é "machão" com mulheres?

Qualquer atentado contra a honra, a integridade física, emocional e psicológica de uma mulher, será considerado um atentado contra as minhas tb!

11 comentários:

  1. carol disse...
  2. Em primeiro lugar, vc sabe o qto admiro essa sua iniciativa em defender esse assunto tão polêmico e do ponto de vista das mulheres (já devo ter dito isso a você)...
    Em segundo lugar, a sua resposta contém a dose certa de coragem e incentivo para essa mulher começar a procurar dentro dela as forças para recomeçar...
    As mulheres precisam entender que por mais difícil que seja, esse tipo de comportamento não pode ser aceito... e eu juro que nessas horas eu gostaria de ser homem só pra chamar um babaca desses pra briga...
    Revoltas à parte, tomara q ela tenha força, coragem e amor próprio pra sair disso e preservar a filha...
    Beijos e parabéns pela coerência Felipe...

  3. MAGIANTIGA disse...
  4. Felipe novamente me deixando de queixo caído! Parabéns pelo seu texto meu amigo!
    Quero esclarecer para as mulheres que sofrem abuso e/ou violência, que existem orgãos especializados que ajudam a mulher a reestruturar suas vidas.
    Não tema, procure a delegacia da mulher em sua cidade e peça ajuda!

  5. Monalise Nogueira disse...
  6. O mais importante em minha visão, é que ela tem todos os requisitos para recomeçar, lute! Sua filha é mais importante do qualquer coisa no mundo.
    Texto maravilhoso.

  7. Anônimo disse...
  8. vcs que fazem esse tipo de depoimento dao muito corajosas parabens !estou fazendo um projeto e podem ter certeza vou pegar seu depoimentos!

  9. Anônimo disse...
  10. Conheci meu (agora) ex namorado há 9 meses. No começo foi um mar de rosas... Eu sentia o quanto ele me amava e se dedicava para me fazer feliz, até mais do que eu. Moravamos em cidades distantes porém, já estavamos apaixonados e a distância não seria uma barreira para namorarmos. Desde o início ele mostrava suas boas intenções e falava até em casamento... Isso quase sempre. Chegamos ao ponto de escolher o nome do nosso cachorro, decorações para a nossa casa quando casassemos, nome dos possíveis filhos... Enfim, ele parou até de fumar e mudou muito (segundo a própria mãe) depois que me conheceu. Se tornou uma pessoa melhor.
    Porém, em pouco tempo comecei a notar um lado meio agressivo dele. A princípio nunca comigo... Mas com comentários do tipo, se eu descobrir que me trairam eu dou um tiro na cara... Eu daria um coro para a pessoa aprender.... Tirando os palavrões da pior espécie possível, que eu lutava pra ele parar com aquele vício horrível e que me incomodava muito. Ele tem um gênio muito autoritário e impulsivo..
    Passados 5 meses de namoro, mais ficava na cidade dele que na minha.. Até que um certo dia fomos visitar o pai dele que ele não via a muito tempo... Chegamos lá, fomos bem recebidos por ele e a nova esposa, estava tendo uma festa e então começamos a beber cerveja.O comportamento dele começou a mudar conforme a bebida ia subindo. Percebi o alerta e parei de beber para evitar mais
    problemas... Ele se tornou mais possesssivo que o normal.. Falava para eu ficar só perto dele e não queria que eu falasse com mais ninguém se não fosse com ele junto. Me irritei, mas me contive devido às circunstâncias. Chegando na casa do pai dele, onde dormiriamos, me deitei e apenas quis dormir.. Ele porém, começou a me agarrar e exigia carinho... Eu não estava afim de ficar ali com ele, e aquilo me dava nojo! Foi quando ele começou a me apertar forte e eu para me defender dei um tapa e um empurrão. Ele me deu 3 socos e um chute na cara, além de rasgar meu pijama. Sai correndo do quarto! Ele pegou o carro e foi embora. Isso mesmo, embora! Me deixou sozinha em um lugar desconhecido com pessoas que eu tinha acabado de conhecer. Felizmente o pai dele me levou para a minha casa. Não contei nada a ninguém!
    No outro dia ele veio todo arrependido, pedindo perdão, falando que iria mudar, que me amava e etc. Cedi. Dei uma segunda chance e até então ele nunca mais deu indícios que voltaria a fazer aquilo. Estávamos bem até 2 dias atrás. Ele fez um churrasco e claro, começou a beber muito... E começou a ter o mesmo comportamento daquele dia. Eu percebendo, fui para o quarto dele dormir. Depois de umas 3 horas ele abriu a porta do quarto furioso, falando coisas sem nexo algum.. Muito irritado porque eu o deixei sozinho. Me levantei e ele começou a me xingar, cheguei mais perto dele e dei uns tapas para impôr respeito... Foi quando ele me deu 3 socos na cara e no último soco, caí no chão, ele não satisfeito me deu um chute no tórax que me deixou sem ar.. Eu me senti um cachorro apanhando ... Ele só parou pq a mãe dele chegou para apartar! Liguei para a polícia, fui para o pronto socorro fazer um laudo médico e fui para a minha casa de viatura. Me senti um lixo! Acordei toda roxa, com a cara inchada, o tórax doendo ao respirar... Enfim, foi muita humilhação! Ele me ligou no outro dia, chorando. Veio no meu portão me chamar, dizer que me ama, ajoelhou, chorou igual a uma criança! Mas estou decidida a não voltar! Disse que não entraria com um processo se ele me deixasse em paz! Gostaria de ouvir conselhos de quem já passou por isso. Preciso me firmar na minha decisão. Sinto que ainda gosto dele. Me ajudem!

  11. Anônimo disse...
  12. Estou passando por um problema muito parecido c o seu, mas, infelizmente, eu já casei e só tive a chance de conhecê-lo, verdadeiramente agora. As agressões q sofri dele foram poucas e c menos violência q no seu caso, mas qualquer agressão física é muito grave. Também n sei o q fazer, pq o amo demais! Mas estou quase no meu limite.

  13. Anônimo disse...
  14. TEnho 29 anos e conheço meu marido há 8 anos. Nosso relacionamento já começou errado, se assim posso dizer. Ele morava com outra mulher, o relacionamento deles já não estava bem, mas eles ainda moravam juntos. Eles se separaram e nós assumimos nosso namoro. Namoramos por 2 anos depois me mudei para casa da mãe dele e em 2011 mudamos para outro estado só nós dois. Antes de mudarmos ele já havia mostrado seu lado violento me agredindo quando discutiamos, mas como essa agressão era só moral e alguns empurrões ele dizia que não era agressão. Mas quando estávamos morando só os dois em outro estado ele aumentou as agressões, nos casamos neste ano e em 2012 voltamos para casa da mãe dele e eu engravidei. Tenho hoje um filho de 2 anos e 8 meses, e um relacionamento que só existe por causa desse filho. Quase todas as vezes que discutimos ele me agride, agora não é só empurrões, agora ele me da tapas, murros e beliscões. Mas sempre fico sem coragem de largá-lo, não queria que meu filho morasse num lar desfeito, gostaria que ele crescesse com pai e mãe ao lado dele. É muito difícil esta situação só quem passa por isso sabe dizer o quanto é difícil. Acho que estou chegando ao meu limite, hoje ele me agrediu por que bebeu e queria sair com meu filho e eu não deixei, ele me deu murros e estava com a chave do carro na mão. Agora estou com um corte na mão e no braço, não sei o que fazer....

  15. Anônimo disse...
  16. Bom eu tenho 16 anos namoro um garoto de 18 bom ele fuma e bebi então quando ele faz os dois ao mesmo tempo. Ele sempre me bate por querer ter relações comigo . Não sei o que fazer pois me sinto um lixo . :'(

  17. Anônimo disse...
  18. Tenho 21 anos estou con meu marido a 5 anos tenho um filho de 2 anos . No comeco do namoro era tudo muito bom . Quando teve a primeira traição eu fiquei louca beiguei xinguei e apanhei . Depois de um tempo acabei voltando mais os problemas continuaram e a solucao pra ele era sempre me agredir .ja apanhei muuuuito nossa mi sinto um lixo ! Perdi minha alto estima .hoje moramos juntos , como pai simplisment nao tenho nada a reclamar mais como esposa sou muito humilhada todos os dias nunca posso me revoltar com nada senao sou agredida e nao sei o que acontece as vezes mi da impressão que estou presa tento separar mais nunk consigo sempre com esperancas . Sei q sou boba burra mais fiko de maos atadas trist chorando !

  19. Anônimo disse...
  20. Anonymous
    Estou com meu marido a.22 anos. Desde namorados ele sempre me agrediu. Uma vez me deu um soco em uma boate, achando q estava olhando p outra pessoa . Outra vez me jogou um chaveiro nas costas pq contrariei ele, fora as agressões verbais e psicológicas q me colocavam abaixo de um cachorro. Sempre me vez acreditar q de algum jeito a culpa era minha e conseguia. Realmente achava q eu era culpada. Uma vez quebrou um cabo de vassoura na minha cabeça so pq reclamei q a casa estava uma bagunça. Sempre perduei pq temos um filho de 10. Mas desta vez foi diferente ,apos uma festa s sem nenhum motivo ele me agrediu. Levei tanto soco na cara q fiquei com os olhos roxos e vários hematomas. Meu filho ficou desesperado. Fui ate a delegacia e dei queixas dele. Agora dei um basta. Não quero mais ele. So q ainda sofro pq nao deixo de sentir falta dele. Como gostaria de ter minha familia de volta e saudavel. Achei q era p sempre. Sera errado este sentimento?

  21. Giselly disse...
  22. Caro Felipe Voiht, primeiramente meus parabéns pela ousadia que tem ao expressar seus sentimentos de revolta. Seu trabalho é realmente um estepe para as mentes perturbadas, almas machucadas e corpos maltratados, é aqui que se encontra alívio, esperança e coragem. Você é um modelo de HOMEM que deveria ser seguido, pois mulher tem que ser cuidada, amada, protegida, ajudada, não agredida e desvalorizada. Mulheres, saibam que ainda não é o fim, não é tarde demais para mudar a situação, busquem ajuda, sejam forte e corajosas, lutem pela paz, pela vida de vocês. Ainda há esperança..!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...