“Quando tinha 8 anos fui estuprada durante alguns meses pelo meu irmão mais velho”

Posted: | por Felipe Voigt | Marcadores: ,
Querido Ogro,

Bom, quando tinha 8 anos, aproximadamente, fui estuprada durante alguns meses pelo meu irmão mais velho. Na época não entendia nada, só quando cresci é que fui perceber o quanto mal ele fez comigo. Sofri muito pois tenho uma mãe muito religiosa que não deixava de falar um só dia que eu teria que me casar virgem. Apesar de fazer de tudo para deixá-la orgulhosa (mesmo ela não dando valor algum), ficava cada dia mais deprimida, pois esse orgulho a ela eu sei que nunca vou conseguir dar e isso foi me corroendo com o passar dos anos. Me trancava em meu quarto, passava semanas sem comer, sentindo nojo de mim e a cada vez que ela falava algo, me matava cada vez mais, pois o que ela não sabia e não sabe ate hoje é que o filho "tão perfeito" dela acabou com a vida de sua outra filha.

Sim, considero que ele acabou com minha vida. O pior de tudo é que ele pensa que eu não me lembro de nada, aí tenho que agir como se minha memória tivesse sido apagada e nada tivesse acontecido. Consegui "perdoá-lo" apesar de tudo... às vezes me culpo, acho que eu podia ter evitado, mas eu era tão inocente, não sabia mesmo o que ele fazia comigo.

Hoje tenho 17 anos e namoro um rapaz da mesma idade. O amo muito, mas sinto-me culpada por enganá-lo, pois ele acha que ainda sou virgem. Ele é do tipo quieto que sonha em tirar a virgindade no casamento e tenho medo de contar tudo e ele me largar ou não conseguir armazenar isso. Creio que iremos nos casar rápido, pois é esse nosso plano, mas como agir depois?! Já pensei em contar meia verdade, que fui estuprada, sim, e que é por isso que às vezes ando triste, mas que fui por um vizinho ou alguém desconhecido. Como posso contar que foi pelo meu irmão, sendo que convivemos com ele todo dia?! Definitivamente é algo muito difícil... não sei se devo contar.

Pra minha mãe também não tem como pois ele é um filho perfeito pra ela. E depois que li o depoimento de outra garota com historia parecida com a minha, desisti mesmo, pois a mãe dessa garota a acusou de ter dado em cima do irmão pois sempre andava de pijamas pela casa. Por isso essa é bem provável que minha mãe fique do lado do meu irmão. Aí onde vou viver? Ele provavelmente me expulsa de casa. E é capaz de esconder tudo do meu pai, pra proteger ele.

Sabe sei que tenho que procurar ajuda psicológica e ir ao ginecologista pois posso ficar estéril, mas não tenho como pagar, não trabalho e a cidade aqui é muito pequena para eu procurar ajuda em um posto publico. A única certeza que tenho é que se eu não puder ter filhos, pelos anos que estou sem fazer acompanhamento, ai sim não vou conseguir perdoá-lo nunca.

Às vezes chego a tomar cinco banhos por dia, mas não adianta, não alivia.... Já pensei tantas vezes em me suicidar, talvez evitaria que minha família acabasse caso soubessem de toda a verdade. Me sentiria culpada, com vergonha e com mais nojo de mim ainda... Ontem estava tão triste que resumindo tudo: se as paredes do meu quarto pudessem expressar todo sofrimento que vivi, não fariam com palavras, apenas com lagrimas!

O que você acha que devo fazer? Me ajuda, por favor!

Minha cara encurralada,

O que você precisa, agora, é respirar. Não entre nessa paranóia toda porque não é o fim do mundo. Sua família não terminará por sua culpa, não irá frustrar ninguém por não ser mais virgem e nem será motivo de decepção. Calma que o que precisa é entender toda a situação e ver com mais clareza e começar a ter outro ângulo de tudo. Sei que não é nada fácil e que o peso disso parece aumentar a cada dia: quanto mais pensa, mais sente e quanto mais sente, mais pesado fica.

Ainda é nova demais, a vida vai começar agora a te cobrar posturas e atitudes e nesse período de adaptação irá ficar sem referências. E as referências que tem agora não estão te ajudando em nada. Por isso mesmo deverá abrir mão delas. Sim, precisa desapegar de alguns preceitos que lhe foram ensinados como irretocáveis. Sua mãe é muito religiosa e fatalmente te colocou alguns padrões morais ultrapassados e que não estão ajudando nesse momento. Isso de ter de casar virgem é um deles: a intenção tem de ser uma opção sua e não de uma doutrina. Ainda mais nesse caso, onde não houve intenção alguma por sua parte.

Você sabe não tem como sua mãe saber mesmo que tivesse transado semana passada sem o consentimento dela. O motivo pelo qual a desapontaria não é esse porque não há desapontamento aqui. Acho que está pegando tudo pelo lado errado da coisa e justamente por isso se vê desamparada.

Essa sua busca pela aprovação de sua mãe reflete muito nessa preferência dela por seu irmão. Quando diz que tenta deixá-la orgulhosa “mesmo ela não dando valor algum”, mostra que em tudo busca a atenção dela para a pessoa que você é: sensível, carente, que precisa de mais apoio e compreensão e de menos dedo em riste e acusações.

E como você pode acreditar numa educação onde privilegia um irmão como esse e recrimina uma vítima como você? Sério: não leve tão a sério assim o que sua mãe fala “em nome de Deus”, pois se ela educou também um mostro como ele, de fato errou em alguma coisa muito séria. A culpa não é toda dela, mas teve grande responsabilidade.

Outro exemplo de que esses preceitos religiosos estão te sufocando: disse que conseguiu “perdoá-lo” e usa aspas ao afirmar isso. Sinal de que o perdão está sendo superestimado por aquilo que você aprendeu como o único meio de ser feliz: praticando o perdão. Não, não há como perdoar seu irmão pelo que ele fez. É inadmissível aceitar isso com essa retidão e devoção que a religião prega. Você tem, sim, todo o direito de odiá-lo. E ainda mais: tem o dever de não tentar ser “superior” a ele ao tentar perdoá-lo. Ainda mais agora, aos 17! O mundo precisa que você seja um pouco mais rebelde... mesmo que internamente, mesmo que veladamente.

Natural que se culpe pelo que aconteceu: acha que deveria ter lutado mais, que desistiu facilmente, que de alguma forma causou isso e que a culpa é sua. Posso ficar por parágrafos e mais parágrafos tentando te convencer do contrário, mas a verdade é que realmente a culpa não foi sua. Sentir culpa não quer dizer que você tenha sido culpada. Sentir culpa faz parte do processo que tem de passar para conseguir assimilar toda a avalanche de informação que caiu sobre você.

Ao 8 anos, não há nenhuma formação sexual, não há malícia na criança. Entenda isso, sinta isso: você era uma criança e não há nada que você tenha feito que pudesse ter estimulado o que ele fez. Busque referência em uma criança com a mesma idade hoje e veja se seria possível ela revidar ou ainda ter estimulado algo. Verá que não.

Quanto ao seu namorado, não conte nada ainda. Estão juntos há pouco tempo e não é hora pra se expor tanto, até porque ele também é inexperiente. Mesmo que sua pretensão seja casar, nessa época da vida é muito comum os grandes amores se dissiparem com o virar de um dia. Não há garantias de que estarão casados daqui um ano, muito menos se estarão juntos. Espere, deixe o tempo agir sobre a relação e sobre vocês. Um dia, quando estiver preparada, saberá como envolvê-lo nisso. Mas agora apenas espere... não está o enganando em nada.

Mas o fundamental nisso tudo é: você ainda é virgem. Talvez não fisicamente, mas emocionalmente e mentalmente, sim. Você ainda não transou por vontade própria, ainda passará pelo nervosismo da primeira vez. Acontecerá contigo da mesma forma como acontece com toda adolescente da sua idade. O que você sente agora não é por causa do que aconteceu: sente por ser natural em toda menina nessa fase. Todo esse medo da mãe descobrir, do namorado se frustrar, tudo isso já aconteceu com milhões de mulheres. Esse teu impasse e medo são mais inerentes à idade do que ao trauma ocorrido.

E não fique pensando nisso de ser infértil ou que te causou algum problema físico. Se algo mais grave tivesse acontecido, você teria manifestado alguns sintomas já naquela época. Precisa ir a um ginecologista, sim, mas para fazer todos os exames habituais que toda mulher tem de fazer logo quando começa a menstruar. O medo que tem é de descobrirem o que te aconteceu no passado, como se ficasse uma digital disso exposta. Não é assim, fique tranqüila que não vão sair do posto de saúde dizendo que você foi estuprada no passado.

É um dia de cada vez que tem de andar, não tem jeito. Sei que sente falta de alguém que possa contar sobre isso, tanto é que me escreveu um e-mail. Esse mesmo e-mail está lá, aberto a qualquer hora que quiser desabafar sobre isso e aliviar um pouco o peito. Terá dias piores e terá dias ótimos.

É uma eterna caminhada essa coisa de superar um problema. Mas é possível e temos casos aqui nesse blog. Se quer usar algum como exemplo, mire-se naqueles onde as pessoas que me escreveram conseguiram, sim, respirar depois de uma dor igual a sua. Elas passaram pelo mesmo que você passou e você estará onde elas estão. Calma, confie em mim... apenas queira respirar e daremos um jeito.

O que precisa agora é entender isso: você era uma criança, o errado foi ele e não você; não há porque se preocupar em suprir as expectativas da sua mãe, isso é opressor demais; teu namorado não saberá que você não é mais virgem e não se preocupe em tentar incluí-lo nessa parte da sua história agora, é cedo demais; questione alguns desses conceitos religiosos sob os quais foi educada, eles não serviram para educar seu irmão; e se suicidar não vai resolver nada pois a sua presença neste planeta não é empecilho para ninguém.

Você precisa sentir um pouco de raiva e se rebelar. Não queira seu irmão por perto, não tente ser aquilo que esperam que seja: seja o que você é e manda um foda-se para o alheio. Esse mesmo alheio não sabe pelo que você passou nem como isso dói em você. Só você sabe dessa dor e o quanto ela te tira o foco das coisas. Rebele-se um pouco contra o mundo e contra esse Deus que permitiu isso acontecer.

Uma menina inocente foi injustiçada aos 8 anos... defenda-a!
Seja você a protetora dela e ela te protegerá de volta.

Questione, rasgue alguns conceitos e padrões. Dê vazão a esse sentimento que represa tanto. Mas faça isso contra o mundo, não contra você. Lembre-se: de todos os envolvidos, você é aquela que não tem culpa alguma.

29 comentários:

  1. Evelyn Paparelli disse...
  2. Nossa, que relato triste, pesado...mas minha cara, tente aliviar essa dor, diminuir esse peso, usando a mesma força e coragem que te fizeram chegar ao nosso querido Ogro, por que sei que não é nada fácil dar esse passo, afinal se sabemos o seu nome ou nao é o que menos importa.
    Seu irmao foi um monstro, e nao merece perdão, e acredito que se ele soubesse o que voce sente hoje pudesse te ajudar. Concordo com o Felipe, se revolte...bancar a boa moça só faz com que voce sofra mais, um pouco de rebeldia as vezes faz muito bem a nossa alma.
    Voce jamais poderia ter sido culpada aos 8 anos de idade, nem poderia ter evitado.
    Concordo tambem com o Felipe que seu namorado jamais desconfiara do que aconteceu, portanto nao precisa contar, voce nao estara enganando ninguem e vai realmente sentir como se fosse a primeira vez...nao gaste energia com o que nao tem necessidade, pois se ele te ama ira compreender no futuro, um dia em que voce sentir que é a hora e o momento certo pra tocar nesse assunto com ele.
    No mais siga os sempre perfeitos conselhos do Felipe, se adiantou pra mim, adianta pra qualquer uma pois um estupro é sempre um estupro. Beijos :)

  3. Vó Fifi disse...
  4. sempre achei que quem cria homens machistas somos nós ....mulheres. Esta mãe é um exemplo disto. Cobra tanto da filha e não consegue enxergar o monstro que tem dentro da própria casa.Não dá prá saber o que se passa na mente de um homem assim, mas com certeza, não foi ensinado a respeitar as mulheres. Ele como HOMEM,pode tudo, inclusive estraçalhar com a vida da irmã, a quem devia ter aprendido a respeitar, amar e defender acima de tudo. Acho que vc deveria virar a mesa,contar tudo para todos, e que se danem depois. Não adianta querer poupar a quem pouco se lixa pra vc.Mãe, irmão, namorado. Todos exigem posturas suas. E você? Vai carregar este peso em suas costas até quando?

  5. Irmã disse...
  6. Olá, querida. Tenho uma história assustadoramente parecida com a sua. A grande diferença é que, ao invés de religiosidade, minha família (minha mãe, na verdade, porque meu pai jamais soube) é extremamente hipócrita.

    Passei por tudo isso que vc relata. Fui durante toda a adolescência uma jovem boazinha, havia muita revolta dentro de mim mas eu fazia tudo o que minha família queria, para manter as aparências... até mesmo lavar as roupas e cozinhar pro desgraçado.

    Foi muito mais tarde que eu descobri que não precisava aceitar a situação. Já joguei tudo o que tinha que jogar na cara da minha mãe, e foi uma espécie de libertação assumir meu ódio. Quando ele morreu eu fiquei chocada, mas logo admiti pra mim mesma que ele não me faz qualquer falta, que eu não preciso gostar dele, e que foi bom assim, senão talvez eu pudesse estragar a minha vida ainda mais tentando conquistar a justiça que ninguém nunca fez por mim.

    Hoje eu tenho 26 anos, pago minhas contas sozinha, estou terminando um mestrado numa ótima universidade federal (nunca tive oportunidades boas de educação, foi na raça mesmo), tenho planos concretos de casamento, assumi meu ateísmo, meu feminismo e muitos outros princípios que têm me ajudado a ser mais forte e a entender o que eu passei.

    Não digo que passei por cima disso, é ainda um enorme peso na minha vida, tenho muita dificuldade e até vergonha de falar nisso, minha relação com minha mãe é bastante mal resolvida (embora a gente se dê bem), não consigo contar pro meu pai e meu outro irmão, fico revoltada quando vejo minha família falando em como ele era um homem bom (isso é o pior), tenho ainda muito rancor por toda a omissão da minha família, isso tudo causou sérios danos à minha saúde psicológica, e sei que preciso enfrentar o momento de trabalhar isso na terapia.

    Mas o que eu gostaria de compartilhar com você é que somos capazes de sobreviver. Eu também, como vc, pensei e penso às vezes em suicídio, e os argumentos dos outros parecem não fazer mto sentido pq a única coisa que a gente quer é se livrar dessa dor. Mas podemos criar sentidos pra nossa vida, por mais que esse tipo de experiência seja tão sem sentido que deixa o mundo completamente vazio. Você precisa de pessoas que te escutem e entendam, de pessoas que não vão te julgar por algo que você sofreu, de pessoas que te admiram e gostam de vc.

    Você tbm precisa lutar contra esse machismo todo, vc é uma vítima de violência extrema, é um compromisso que vc tem com vc mesma e com todas as outras mulheres e meninas vítimas de violência. Você tem que cuidar da sua felicidade, mesmo que isso implique um certo desligamento da família. Entenda que família só é boa quando ela cuida de você.

    Seja melhor que todos eles, seja uma mulher forte, seja verdadeira, sinta orgulho da sua força de superação. E evite o lugar da eterna vítima, reverta essa situação horrível, seja dona da sua vida. Passe essa responsabilidade e essa culpa para os verdadeiros responsáveis e culpados, seus pais e seu irmão; fique apenas com o sofrimento, mas não deixe ele te dominar. Saiba que você não é a única, e que de alguma forma dividir nossas histórias nos torna mais fortes, porque sentimos que não estamos sozinhas.

    Lute e seja feliz.

  7. Irmã disse...
  8. Ah, só um adendo: não estou dizendo que vc deva virar ateia, nada disso.

    No meu caso, muito especificamente, a aceitação da ausência de deus me fez ver as coisas com mais clareza, por mais que a verdade seja mais dura quando abandonamos a visão compensatória que a religião proporciona.

    Por outro lado, assumir que não acredito em deus foi positivo pra mim, pois quando eu comecei a sentir essa inexistência divina na minha vida eu tinha medo de dizer para os outros, eu queria agradá-los e nisso mentia muitas vezes pra mim mesma. Eu era medrosa e vivia à sombra da minha irmã.

    Hoje eu sigo meus próprios princípios, renego todas as formas de preconceito, valorizo a ética e o respeito como valores supremos, e não desrespeito ninguém por suas escolhas e crenças.

  9. Anônimo disse...
  10. Caríssima amiga,
    Por favor, qualquer coisa ignore o que vou dizer, 'ouça' apenas ao nosso amigo Ogro e não me leve a mal, mas apenas um toque, não quero soar psicopata, apenas te ajudar a se fortalecer:
    Você mesma diz que na época nem se dava conta do que ocorria, e que depois que foi crescendo e adquirindo conhecimento é que passou a definir o que ele fazia com você como algo mau, certo? Pois bem: não deixe que o conhecimento pronto, de segunda mão, que é oferecido pela sociedade, formado sem ter levado a sua experiência individual em conta, influencie você. Não deixe. Talvez o que ocorreu tenha sido muito menor do que o que aquelas definições que a sociedade dão a ele o fazem parecer. Pense sobre isso.

  11. Anônimo disse...
  12. Muito triste, mas infelizmente isso ocorre em muitas familhas
    mas, esse assunto de virgindade é muito delicado
    mas nem todas mulheres nascem com o imem sou delegado e ja vi alguns prcessos que a moça era virgem mas não tinha o imem.

  13. Anônimo disse...
  14. Olha nao se martilize cm isso.ja passei por tormentos q geraram tormentos piores em minha vida.eu passei minh infancia sendo estuprada pelo meu pai e irmao alcolatras.eles foram punidos estao presos mas eu fiquei cm as marcas q vou carregar na vida.Eu hoje cuido de 2filhas q tivi cm meu irmao e meu pai. Elas hoje estao cm 13 e 14an.so q a mas nova tbm foi violentada pela pai dla meu irmao. Hoje vivems todas juntas e eh juntas q vams vencer tudo d ruim q passams

  15. Gisa disse...
  16. Passei pela mesma coisa e entendo que nessa idade, principalmente com namoradinho, essa crise de "virgindade" se torna uma coisa insuportavel. Mas, menina, falo por experiencia propria... essa sua preocupaçao com sua virgindade nao tem motivo de existir. Voce ainda è virgem sim! Eu tinha o mesmo medo que voce... e quando decidi fazer amor com um namorado pela primeira vez, ele pensou que eu fosse virgem fisicamente... porque psicologicamente eu era! Nao se preocupa com isso nao. Tambem nao se preocupe em contar para o seu namorado... alguem que te ama de verdade vai entender sua situaçao, mesmo que voce conte depois de muito tempo. Tive varios namorados, fui atè casada, mas sò fui contar o que aconteceu ao meu atual namorado, 24 anos depois que sofri a violencia, e depois de 2 anos com meu atual "namorido".
    Adorei os conselhos que o 'querido ogro' te deu, saos os mesmos conselhos que eu, que tambem fui vitima desse tipo de violencia (aos 8, aos 12 e aos 17, por pessoas diferentes), te daria. Voce tem sorte por encontrar alguem que te diga tudo isso aos 17 anos de idade... eu tive que aprender tudo sozinha!!
    Espero que voce supere essa situaçao, siga sua vida, nao desista dos seus sonhos, nao se sinta culpada e, principalmente, seja feliz.
    Se quiser fazer desabafar ou perguntar alguma coisa por alguem que passou o mesmo que voce, fique livre para me mandar um e-mail. Eu sei que voce pode superar isso! :)
    Um grande abraço!
    PS: Querido ogro, parabens pelos conselhos :)

  17. Anônimo disse...
  18. Que tal contratar uns caras para estuprar a bunda do seu irmão ??? Seria excelente !!!
    Por outro lado seu problema também foi gerado por uma mente doentia da sua mama, te traumatizando com esse papinho de virgem.

    Bjinho !

  19. Anônimo disse...
  20. Ola fofa acho que vc revela toda a historia para teu namorado por que se isso aconteceu uma vez pode se repetir que deus te proteja do mstro de teu irmão a sua istoria e triste tbm ja sofri abuso sexual com tres cara mas a sorte que tive e que eles não. timeraram minha virgidade eu tinha seis ano quando aconteceu meus pais sabem meu namorado esta me ajudando com tralma acho que deve contar para seu namorado tenho serteza que ele vai te ajuda

  21. Juliana Thais disse...
  22. Oi querida, sinto muito pelo q aconteceu cm vc ,. eu acho q vc deveria ir a um ginicologista , é contar para ela oque aconteceu é pedir orientação , pergunte se tem como fazer algum exame para provar q realmente ouve abuso(assim vc tera provas se alguem dizer q é mentira ) . conte para o seu namorado pq se vc casar cm ele uma hora ele vai saber , quando vc for contar pra ele choreeee muitooo , é se sua mãe protege tanto o querido filho dela , conte para os 2(seu pai é sua mãe ) , é ela ñ podera esconder dele(seu pai ) é vc tinha 8 anossss , fala serioo ainda era inocente ela ñ pode botar a culpa em vc !
    bjsss (desculpe pelos erros de ortografia )

    obs : tenha uma conversa cm seu irmão !

  23. Anônimo disse...
  24. Ola minha amada você já é uma pessoa vitoriosa por está contando este fato e procurando ajuda, lute, e não destrua a sua vida em nome de pessoas que deveriam esta te acolhendo neste momento de dor. Tenho a plena certeza e convicção que Deus em nem um momento aprova a atitude de sua mãe. Muito tem sido a destruição q pessoas como sua mãe estão fazendo em nome de uma religião, destruindo vidas e o mais importante q é o apoio não tem sido dado, Jesus te ama e quer te fazer feliz e vc pode ser. Procure ajuda, não fique calada. Q Deus te abençoe e te der forças pois sei que vc vai precisar. um abraço

  25. Anônimo disse...
  26. Prefiro nao falar meu nome nao mais eu tenho 14 anos e fui estrupada pelo meu sogro e nao tenho coragem de contar pra ele pois quando eu olho para meu sogro mim dar vontade de mim matar tambem eu tenho muito medo de contar para minha mae pois tenho medo dela mim rebentar pois eu alem de tudo eu amo meu namorado e sempre gosto de ir pra la aii minha mae vai axar se ela descobrir q eu q dei em cima dele mais serio msm eu prefiria q hoje fosse o fim do mundo msm pra mim poder morrer e ninguem precisar saber disso nao a mais fala serio eu nao adianta esconder nao pois a vdd aparece mais cedo ou mais tardd entao um conselho nao conte nada pra ninguem nao ou entaodesabafa com uma melhor ammg sua se vc estiver pq so nois q viveu isso sabi como e ruim viver sofrendo sempre q eu tou sozinha eu fiko lembrando como foi e eu chorando so q o pior q ele ainda mim bateu e pegou uma arma e pois na minha bik e falou q se eu nao dace pra ele ele ia mim matar aiii xau mim desculpa nao aguento mais vou mim matar q vida mais msm assim boa sorte pois a minha vida aparti de hj vai akbar

  27. Anônimo disse...
  28. eu passei pela mesma coisa quando tinha 7 anos , agora tenho 19 e ate hj nao contei pra ninguem levo comigo esse segredo sinto medo de contar pra minha familia so d imaginar a reaçao q eles podem ter as vezes sinto vergonha de mim mesma .mais estou tentando superar...

  29. Anônimo disse...
  30. Eu tinha 6 anos, quando meu primo mais velho foi morar uns tempos em casa, e ele nunca me penetrou mais me mostrava seu penis e pedia pra mim masturba ele, ate ele gozar e quando ele ia gozar ele falava pra mim chupar, o duro q eu gostava, hj eu tenho 13 e ainda tenho vontade de mecher no penis dele.

  31. Anônimo disse...
  32. Em primeiro lugar, pare de pensar nisso e se perdoe.merda cagadas não voltan ao rabo.seja feliz.que Deus te abençoe.muita Paz.

  33. liamara disse...
  34. minha maê estava sendo velada e meu irmaô me estrupou eu tinha 8 anos era so uma criamça meu irmaô tinha 18 anos ja tenho 37 anos e parece que voi homtem doi muito sou muito triste por isso meu pai morreu sem saber de nada sera que um dia vou esqueser

  35. Anônimo disse...
  36. Fui estuprada pelo marido de minha amiga, nao tenho o dizer isso so faz 2 dias , estava bebada ,mas lembro ele entrando no quarto gritei p/ ela. mas ela tb estava bebada nao tenho coragem de contar. agora voltei a beber pq teho nojo de td .

  37. Anônimo disse...
  38. Gente por favor me ajuda, ou alguem me responde se é estupro! meu primo tem um irmão de 3 anos e ele tem 11 um dia ele ( meu primo ) estava no banheiro dando banho no irmão de e ele colocou a boca rapidamente na parte intima do irmão de só para saber como era o gosto e dps ele pediu que o irmão dele desse apenas um RAPIDO selinho na parte intima dele, mais ele não sabia o que significava isso, para ele era apenas uma brincadeira, e ele não consegue dormir porque fica pensando nisso depois que descobriu o que significava estupro, então pfvr e me resonde se isso é estupro!!!! e se ele soubesse o que era ele NUNCA teria feito isso, então alguem que está lendo isso me responde PFVRRRRRRRRRRRRRRR conto com vc ! Isso é considerado estupro ??????????????????

  39. Anônimo disse...
  40. Bom anonimo que disse do irmão, eu não sei, alguem ai sabe ? se isso é estupro ?

  41. Juliana disse...
  42. Sim. é chamado Estupro de vulnerável qualquer ato libidinoso praticado com menores de 14 anos mesmo que o autor do fato também seja menor. Inclusive um adulto que presencie tal ato e finge que nada aconteceu ou incentiva achando "engraçado" responde por omissão. Mas calma! Pelo que foi narrado acima, o menino mais velho parecia estar com curiosidade normal de criança. é possível que não tenha havido maldade até pelo fato de ambos serem muito novinhos. O ideal nesses casos é um auxílio psicológico para identificar um possível desvio de conduta, coisa que eu acho pouco provável, ou então apenas a curiosidade de criança. o importante é acompanhar e não fingir que nada está acontecendo.Uma ajuda de um psicólogo infantil é sempre bem-vinda. Boa sorte!

  43. Anônimo disse...
  44. Menina. Você só tinha oito anos. Você ainda é virgem. A virgindade se perde por amor e não pela dor. Acho que você deveria ir até uma delegacia e contar tudo. Custe o que custar. Lembre-se que seu irmão pode estar fazendo isto com outras crianças. Você não pode corrigir o passado, mas pode mudar o futuro de várias outras crianças, caso seu irmão seja um pervertido. Faça o que fizer, antes de casar-se. Não comece uma vida nova com este tipo de "pendência". Ore a Deus e peça que ele lhe oriente. Assinado:Advogado

  45. Anônimo disse...
  46. Sei muito bem como é isso, sua historia é muito parecida com a minha, é algo quase impossível contar, acabar com os planos e sonhos de nossa mãe, alem de destruir sua família. Ele conseguiu acabar com meus projetos, penso também como contarei para meu futuro marido. Mas, Preferi não contar, e aguenta a dor e sofrer só, e pior de tudo me sinto culpada, talvez eu poderia ter evitado, mas ele me ameaçava, talvez se eu tivesse contado na época que aconteceu, teria chances da minha mãe acreditar em mim, mas hoje mesmo que ela acredite pense: Eu acabaria com toda a minha família e valeria a pena no meu caso tenho 16 anos, já aguentei tanto tempo, então prefiro ficar no silencio, e infelizmente é isso que lhe aconselho,no caso do seu namorado não tem como, diga para ele que o que aconteceu, mas não diga quem foi, se ele insistir muito diga que era um desconhecido e não lembra do rosto, faça ele prometer que não ira contar nada para sua mãe antes de contar, infelizmente é melhor. E espere se um dia aparecer uma oportunidade para contar para sua mãe conte, não deixe ela morrer enganada. Espero que apareça um momento certo para contar para minha mãe tbm.

  47. Anônimo disse...
  48. Que situação meu Deus... Sempre fico a pensar nessas histórias tentando me colocar no lugar das vítimas... São histórias comoventes, mas que me revoltam profundamente. Não vou falar da negligência materna e paterna. Vou falar dos seus sentimentos... Imagino que tenha tido uma educação rígida e sustentada em princípios religiosos, que também não cabem a mim julga-los. Nesse contexto o seu irmão também foi formado e claro como macho e superior... Em suma você foi posta numa situação de risco e seus pais eram os responsáveis por você ... Você se refugiou por medo e continua assim desde então, submetida ao elo familiar e aos princípios mofados de alguma religião radical... Nada contra, e não estou aqui para julgar ninguém, a não ser a mim mesma... E colocando-me em seu lugar e tentando compreender o seu silêncio até agora, preciso lhe falar que chegou a sua hora de desabafar. Não há como conviver com isso na garganta, perdoando o imperdoável e convivendo com tais lembranças de infância. Antes de tudo faça uma oração pedindo forças para falar. E depois fale. Chame a sua mãe, o seu pai, o seu irmão (s), e simplesmente fale. Tire este peso da sua vida, e recomece com força. Se acha que haverá violência ou algo parecido, se apoie em um membro de sua família ou alguém que você saiba que te protegerá, que não seja seu namorado. Eu procuraria uma delegada, mas como você mora em um lugar pequeno, não sei se é possível. Abra seu coração para estas pessoas, olhe nos olhos do seu irmão (a criatura) e fale tudo. Não pense no amanha. Saia desta situação o mais rápido possível, porque você já esperou demais. Reaja ao mundo senão será engolida por ele. Quero notícias. Um abraço.

  49. Anônimo disse...
  50. Perdoe seu irmão em primeiro lugar. Sente com ele e fale com ele explica como ele lhe magoou, isso mostra que você é forte e melhor que ele, Pode ser que isso o atormente muito e o perdão pode ser o começo de uma nova vida.
    Digo isso pois minha esposa fez exatamente isso com o pai dela. Ele a violentou quando ela tinha 13 anos. Ela sentou com ele e falou que o que ele fez com ela foi terrível, mas ela o perdoava, No fim ele chorou confessou que foi molestado quando criança também. Minha esposa se tornou psicologa e isso a ajudou a se encontrar e resolver sua vida.
    Ela me contou logo quando passamos a confiar muito um no outro

  51. Anônimo disse...
  52. Querida,
    Primeira sugestão: esqueça essa história de virgindade, pois trata-se de mais um valor machista que subjuga as mulheres. Que as trata como uma coisa, uma mercadoria que perde o valor depois de usada. Vc tem valor independente de quantas vezes transou, da sua cor, da sua conta no banco, dos anos de estudos, das suas crenças. Concentra tuas energias nesse processo de cura, que é longo e penoso. Só quem já passou por algo semelhante sabe o tipo de horror que essas cicatrizes provocam na alma.
    Segunda sugestão: acredite que é possível superar esse trauma. Não se trata de esquecer, mas de viver com menos dor, ódio e outras limitações. Vc pode sim descobrir o prazer do encontro sexual com outras pessoas (sem culpa, nojo ou flashs desse abuso), a alegria de viver, de construir seu caminho, se realizar, construir a sua família saudável e livre de abusos.
    Também passei longos anos da minha vida desejando morrer. Querendo sumir com tudo, enterrar esse problema comigo. Hoje me considero uma pessoa feliz e muito menos aterrorizada pelos males desse evento. Hoje tenho menos ódio, menos flashs durante minhas transas, tenho mais alegria, mais sonhos, vontade de lutar pela minha vida feliz e livre de abusos.
    Uma coisa é certa, hoje mais do que nunca sei o valor do respeito ao próximo, aos limites do outro. Não precisava passar por isso, mas infelizmente é algo que não posso mudar na minha história.
    Tem calma e fé de que vc consegue sim se reinventar. A cicatriz sempre estará aí, mas o seu significado pode ir mudando ao longo da vida, e um dia, quando vc estiver curada dessa dor, desse trauma, vc pode ajudar outras pessoas que já passaram pela mesma coisa e, melhor, poderá ajudar a evitar situações do tipo.
    Coragem e boa sorte!

  53. Anônimo disse...
  54. Nao acredito que vc disse isso.... nao ah diferença entre uma penetraçao, ou uma passada d mao nas parte intimas de uma mulher....tudo è traumatizante

  55. Anônimo disse...
  56. Fui molestada por meu pai dos 11 aos 13 , um dia tomei coragem coragem e contei para minha mãe, ela me disse que já suspeitava e ameaçou de chamar a polícia, me deu muita raiva porque se ela suspeitava porque nunca fez nada, pior tive que conviver com ele até sair de casa, ele ficou com medo e nunca mais vez nada, mas fiquei doente piscológicamente, me sentia sua e sozinha no mundo, pois minha era fria comigo e não me compreentia, aos 20 passei em um concurso público com muito esforço e saí de casa, paguei um psicóloga por um ano e denunciei o caso na Delegacia da mulher, ele me pediu perdão, eu perdoei mas o que fez foi crime então ele teve que arcar com as consequências. Hoje levo uma vida normal, e te falo, faça o que achar que é certo, não sofra pelas outras pessoas, no final você é a única responsável pela sua felicidade, então faça sempre o que você julgar certo, doa a quem doer, tudo na vida passa. E agradeça a Deus pela sua vida. problemas tudo mundo tem, agora cabe a você permitir que algo do passado prejudique sua vida hoje. Tudo na vida passa, então não se preocupe, viva da melhor forma e confie em Deus. NÃO se prenda a padrões da sociedades, as culturas mudam, os valores mudam (em épocas distantes casamentos entre irmãos eram comuns), e você é linda, muito nova e tem muito pela frente. O importante não é o que passou, mas as suas escolhas daqui para frente, o que você quer para sua vida, seus sonhos, o passado nunca vai mudar, o que muda é a sua maneira de olhar para ele. Faça sempre o que a razão achar que é certo, as vezes as emoções nos enganam.

  57. Anônimo disse...
  58. oi lola, acompanho seu blogger, e me identifico muito com oque muitas leitoras postam aqui,e gostaria de compartilhar um pouco da minha historia , desculpe pelo anonimato. bom fui violentada quando tinha 8 anos de idade pelo meu tio , ele comecou me tocando, e pediu pra não falar nada , logo depois mandava beija-lo e fazer oral nele e não tinha coragem de falar pra ninguem , um dia ele me penetrou e logo em seguida matou meu gato dizendo que se contasse aconteceria o mesmo comigo , ele me manteve assim ate os doze anos de idade , so que um dia ele me machucou tirou sangue de mim , doeu muito fiquei com febre tomei coragem e contei pra meu pai , so que não queria denunciar , me sentia suja ,culpada , cúmplice dele , então ele foi embora e nunca mais soube dele , hoje tenho 19 anos e não consegui superar ainda , fico pensando , porque eu deixei ? sera que tava gostando daquilo ? porq me permitir passar por tudo aquilo? é inevitável nao me sentir culpada porque permitir , porq passei quatro anos sendo abusada por ele sem fazer nada , apenas aceitava calada, não sei oque sentir, não sei como me sentir , apesar do tempo não superei ainda ,penso sempre nisso , e não me sinto vitima é como se achasse que tivesse despertando nele alguma coisa , hoj evito usar muitas roupas , com medo que possam achar que to tentando despertar desejo.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...